Especiais

Sexo no pós-parto: 4 fatos que podem chocar, mas que têm solução

O puerpério é um momento delicado, mas é possível passar por ele com menos angústia

selo_seminario_oficial
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

O sexo depois da gravidez pode ser um momento delicado, mas existem maneiras de melhorar (Foto: Shutterstock)

O sexo depois da gravidez pode ser um momento delicado, mas existem maneiras de melhorar (Foto: Shutterstock)

O assunto sexo no puerpério é polêmico. O que é dito, muitas vezes, pode assustar. Mas calma! A colunista Sarah Jenks, da revista norte-americana “Parents” listou alguns momentos que podem chocar quando ouvidos pela primeira vez e contou o que ela fez para passar por essa fase com menos angústia.

Leia mais:

Dor no sexo: 5 fatores que causam incômodo e dificultam a gravidez

Anúncio

FECHAR

Existe sexo depois da gravidez?

Sexo depois do bebê: 7 maneiras para deixar tudo ainda melhor

Choque 1 : Eu não me senti nem um pouco sexy. Eu sei que as mães têm uma má reputação por perder a sua sensualidade, mas, durante a gravidez, eu tinha certeza de que não iria acontecer comigo. Jurei manter a minha feminilidade. Me imaginei gostando de ter meu corpo de volta. Em vez de tudo isso, eu me senti estranha, cansada e sem libido nenhuma. Cheguei a culpar o excesso de peso até conversar com amigas magras e lindas e descobrir que elas também passaram por isso.

Solução: Percebi que o desinteresse se devia muito mais ao que estava sentindo. Então, comecei a fazer mais coisas por mim, como me arrumar mais, usar pijamas bonitos, fazer exercício físico, pedir para minha mãe ficar com o bebê para eu sair com amigas e, o mais importante, ter pensamentos positivos e dizer coisas agradáveis para mim mesma.

Amamentação pode diminuir a libido e a lubrificação (Foto: Shutterstock)

Amamentação pode diminuir a libido e a lubrificação (Foto: Shutterstock)

Choque 2: Sexo dói muito e por muito tempo. Eu tive a sorte de não sentir dor no parto, mas até o quinto mês do puerpério as relações sexuais eram doloridas. Quando perguntei para as minhas amigas se elas também passaram por isso, elas se identificaram. Uma delas até disse que se preocupava se depois do parto normal ficaria com o canal vaginal mais largo, mas isso não aconteceu. Mesmo assim, o sexo agora é insuportável para ela.

Solução: Você pode procurar por fisioterapia pélvica, exercícios que fortalecem os músculos e articulações e proporcionam bem estar através dos alongamentos e relaxamentos. Não se esqueça de também de usar lubrificantes e caprichar nas preliminares. Vale dizer também que quando você para de amamentar, sua lubrificação volta ao normal.

Saiba quais doenças podem prejudicar a fertilidade

Dá para amamentar e manter a vida sexual plena

Choque 3: Eu senti muita pressão. Depois que meu médico disse que eu poderia fazer sexo, a cada dia que passava eu senti muita pressão porque ainda não tinha muita vontade. Comecei a ficar preocupada com meu relacionamento. Pensei se meu marido poderia me deixar ou se nós viraríamos mais um daqueles casais que nunca fazem sexo. Eu sabia que esse drama e essa pressão não ajudariam em nada.

Solução: Eu falei sobre isso. Eu disse ao meu marido como eu estava sentindo e o drama que eu estava criando na minha cabeça. Eu finalmente lhe disse: “Eu não tenho ideia de quanto tempo eu vou querer esperar, mas não estou nem perto.” E ele estava bem. Eu inventei maneiras de nos sentirmos fisicamente próximos e ligados de outras maneiras e nosso relacionamento não sofreu. A falta de pressão e o conhecimento de que nossa relação estava segura me fez sentir muito mais confortável e minha libido até aumentou.

Choque 4: Quando é que você deveria fazer sexo? Tirando amamentar o bebê, me alimentar, trocar fraldas e roupas e jantar com meu marido pelo menos uma vez por semana, todo o meu tempo livre era para dormir.

Solução: Não se prenda a números inventados sobre qual é a frequência ideal. Tire algum tempo para pensar sobre o que é melhor para você e para o seu parceiro. Vele dizer algo como: “Quero que você saiba que eu ainda sinto atração por você e quero fazer sexo, mas é difícil de encontrar o momento certo.”

Sexo e discussão com o parceiro podem levar à longevidade

Sexo e casamento não precisam combinar o tempo todo

*Traduzido da revista norte-americana “Parents”

O tema “Para ser mãe você não precisa deixar de ser mulher” será abordado pelo Luiz Hanns no nosso Seminário Internacional “Mãe também é gente”, que ocorrerá dia 15 de maio no WTC (World Trade Center São Paulo), na zona sul de São Paulo. Inscreva-se aqui.

rodape12