Gravidez

Mas o que é esse tal de puerpério?

É comum sentir-se insegura e sensível, por isso é importante saber o que vai ocorrer com você nesse período

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

puerperio

Não somente físicas, as mudanças são também psíquicas e hormonais (Foto: Shutterstock)

A mulher está grávida e tão maravilhada com essa fase da vida que não vai se preocupar com o pós-parto até ele chegar, mas é importante para as mães que estão nesse período compreenderem qual a melhor forma de lidar com ele e para aquelas que ainda vão passar por isso, já guardarem algumas dicas.

Vamos à compreensão por fases. Primeiro a palavra: puerpério. O dicionário define como: “período que decorre desde o parto até que os órgãos genitais e o estado geral da mulher voltem às condições anteriores à gestação”. A ginecologista e obstetra Erika Narimatsu, da Clínica Gynari assistência médica, filha de Yukio e Toshi, reforça essa definição e acrescenta que não ocorrem apenas modificações físicas, mas também psíquicas e hormonais no organismo da mulher.

Leia Também:

Anúncio

FECHAR

Para ser mãe você não precisa deixar de ser mulher! Luiz Hanns explica por quê

Existe sexo depois da gravidez?

A maternidade vai te transformar e seu companheiro precisa saber disso!

“Durante esse tempo, a mulher pode apresentar insegurança em relação aos cuidados com o bebê e com o corpo, o que favorece a um estado de baixa autoestima”, explica a ginecologista. Então, você que acabou de dar a luz ao seu bebê, pode sentir mudanças constantes de humor com tendência a chorar ou se irritar com facilidade.

A ginecologista explica que os médicos chamam as primeiras duas semanas do puerpério – em que a mulher sente um forte descontrole emocional – de Blues puerperal. Blues é um gênero musical americano que possui uma sonoridade melancólica, depois dele a palavra “blue” começou a ser usada para expressar muita tristeza ou depressão na língua inglesa.

Leia também

6 relatos que mostram a força das mães

Sexo no pós-parto: 4 fatos que podem chocar, mas que têm solução

Boa alimentação no pós-parto também é essencial

Érica Falcão, mãe da Fernanda, Lara, Lavínia e da Lis, de apenas 22 dias, conta que depois do parto ficou bem cansada fisicamente e no começo se sentiu bem triste. “Agora já me sinto bem melhor, estou radiante sendo mãe de 4 meninas!”.

O período do puerpério varia entre seis a oito semanas em média. E é dividido em quatro etapas. Primeiro o puerpério imediato que dura de 2 à 4 horas pós-parto. Depois o puerpério mediato, esse ocorre a partir do décimo dia, nessa fase a mulher apresenta um sangramento vaginal, isso ocorre porque o útero está começando a voltar ao seu tamanho normal.

Na sequência vem o puerpério tardio, até 6 semanas pós-parto, e por fim, o puerpério remoto, a partir do 45˚ dia até que a mulher retome sua função reprodutiva. Um dos grandes tabus durante esse período é o sexo.

“As relações sexuais são liberadas pelo ginecologista, em média, 40 dias após o parto. Este é o tempo que o organismo da mulher leva para se recuperar e é importante seguir essa orientação”, adverte a médica. Isso porque é comum a mulher ter um ressecamento vaginal por causa das alterações de hormônio durante a fase de amamentação, o que acaba gerando um certo desconforto na relação sexual.

O puerpério é uma fase normal, e para saber lidar com as mudanças desse período é importante um acompanhamento médico. O especialista irá avaliar se as condições de cada etapa estão normais e orientar a melhor forma de transição de acordo com cada caso.

“Um bom suporte dos familiares e do médico, apoio emocional, compreensão e auxílio com os cuidados do bebê ajudam a mãe a passar por esse momento de forma tranquila”, aconselha a ginecologista.

* Por Jessica dos Anjos, filha de Adriana e Marcelo.