Gravidez

O que ninguém te contou sobre o parto (e nós te contamos!)

Confira algumas verdades sobre o trabalho de parto: o que é normal, o que não é normal e o que você pode esperar

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

o que ninguém te contou sobre o parto

Agora que você está grávida, provavelmente deve estar indo a aulas sobre dar à luz e lendo tudo o que pode sobre o trabalho de parto e o nascimento de um bebê. As aulas e os livros normalmente nos fornecem informações sobre o cenário todo, sobre o grande plano do nascimento e se esquecem de trazer os detalhes surpreendentes – e, muitas vezes, embaraçosos ou constrangedores.

Leia também:

Fotógrafas registra imagens delicadas da coroação de bebês durante o parto

Anúncio

FECHAR

Saiba o que é o projeto “Parto Adequado”

Os possíveis destinos da placenta depois do parto

Saber o que te espera vai te deixar menos estressada para esse momento, que a gente sabe que causa muita ansiedade nas mães. Mesmo quando programamos tudo, timtim por timtim, algumas etapas nem sempre saem como planejamos. Por isso, trouxemos para você as coisas que ninguém vai te contar e que acontecem com frequência entre o início de trabalho de parto e a chegada do bebê.

Pode ser que você vomite

Você sabia que vomitar durante o trabalho de parto é normal? Um dos motivos para isso é a anestesia, que pode causar uma queda na pressão arterial, chamada pelos médicos de hipotensão. O primeiro sinal é a náusea e o vômito, de acordo com David Birnbach, do departamento de anestesias da Universidade de Miami.

Veja como acabar com o enjoo durante a gestação

Como aliviar enjoos durante as viagens

Você também pode sentir náuseas por causa da dor das contrações ou ainda pela comida não ter caído bem, já que, geralmente, o processo de digestão para durante o parto. Para reduzir a chance de vomitar ao mínimo, o bom é comer alimentos leves durante as primeiras fases do trabalho de parto e parar de comer por completo quando entrar em trabalho de parto ativo. Nessa hora, o ideal é beber apenas líquidos.

Você vai sentir calafrios

De acordo com David Birnbach, mais de 50% das mulheres se queixam de calafrios e daquela sensação de dentes batendo durante o trabalho de parto. Isso não tem nada a ver com frio. Na verdade, sua temperatura corporal pode subir um ou dois graus durante o parto, o que vai te fazer sentir um pouco de calor.

Os médicos ainda não chegaram a uma conclusão certa sobre por que os calafrios e a tremedeira acontecem, mas tudo indica que seja por causa da incompatibilidade sanguínea entre a mãe e o bebê.

É que uma pequena quantidade de sangue fetal acaba caindo na corrente sanguínea da mãe. Se os tipos de sangue da mãe e do bebê são diferentes, ou seja, se a mãe tem sangue tipo A e o bebê tem sangue tipo B, a mãe vai sentir alguns tremores e calafrios.

Você vai fazer barulhos estranhos

Como o bebê desce pelo canal da vagina, o ar vai ser forçado para sair por algum lugar. Provavelmente, pelo ânus. Outro efeito desagradável: pode ser que você sinta vontade de fazer cocô na hora do parto, por uma simples questão de espaço.

Seu corpo estava acostumado a trabalhar de um jeito. Conforme o bebê vai crescendo, esse jeito de trabalhar vai sendo refeito aos poucos. De repente, o bebê começa a se mexer e o intestino vai perder espaço durante essa movimentação.

o que nunca te contaram sobre o parto 2

À medida que a cabeça do bebê passa pelo canal vaginal, o intestino fica achatado e o que estiver ali é empurrado para fora. Por isso, algumas vezes antes do parto é realizada a lavagem intestinal: a grávida toma algum laxante para evacuar e evitar esse momento desagradável.

Você vai agir como uma lunática

Durante o trabalho de parto, você vai se ver gritando, chorando, suando e xingando seu marido ou o médico. Todas essas reações são uma resposta à dor e à exaustão do momento. Seus hormônios também são culpados por esse comportamento, que afeta até as mulheres mais calmas.

O trabalho de parto provoca uma mudança nos níveis de estrogênio e progesterona, e a reação do corpo é semelhante a uma TPM intensa. Mas não se preocupe, os médicos e enfermeiros também são treinados para lidar com isso e estão acostumados.

Você pode amenizar esses quadros frequentando um curso de gestante. Mas nada pode garantir que você não vá esquecer tudo o que aprendeu. Relaxe, esse momento é só seu.

Pode ser que não seja amor à primeira vista

Depois de horas em trabalho de parto, de chorar, gritar, ver pessoas entrando e saindo da sala e finalmente dar à luz, você estará exausta e precisará de tempo para se recuperar. Além disso, até aquele momento seu bebê não era um ser humano que dependia de você, ele estava dentro de você.

Sua percepção de mundo vai mudar e não se sinta mal se a primeira vez que você segurar seu bebê não resulte em uma sensação de esmagadora alegria. O cansaço vai te vencer nessa hora.

Por isso, se você puder, amamente a criança, coloque-a perto de você por alguns minutos e entregue para a enfermeira levá-la para o berçário do hospital. Depois de uma hora mais ou menos, você estará mais disposta para receber seu bebê e curtir esse novo momento.

O trabalho de parto é difícil para os maridos também

Se o pai do bebê for acompanhar o trabalho de parto, ele também vai passar por momentos intensos: o bip desesperador do monitor fetal, os seus fluidos corporais, suas emoções em montanha-russa, tudo isso acontecendo e seu marido não pode fazer nada a não ser esperar.E rezar para dar tudo certo no final.

A importância dos pais no desenvolvimento dos filhos

Fotos de pai para filho

Algumas vezes, os médicos pedem para os pais saírem da sala de parto, porque ver a mulher passar por muita dor pode deixar o homem perturbado e até mais nervoso do que a grávida.

Se você suspeita que seu marido possa não ter estômago forte para o trabalho de parto, considere a possibilidade de levar outra pessoa junto, de preferência alguém que já tenha passado por um parto e saiba exatamente o que esperar.