Criança

Testamos um livro que promete fazer as crianças dormirem rapidamente

“O coelhinho que queria dormir” contém expressões de relaxamento

Isabela Kalil de Lima

Isabela Kalil de Lima ,Filha de Kátia e Fabio

Crianças dormem em minutos com o livro "O coelhinho que queria dormir" (Foto: Shutterstock)

Crianças dormem em minutos com o livro “O coelhinho que queria dormir” (Foto: Shutterstock)

Para nós adultos, livros que provocam sono não são nada legais. Quando precisamos fazer uma criança cheia de energia relaxar e descansar para o dia seguinte, porém, essa característica é a mais buscada. É por isso que “O coelhinho que queria dormir” tem feito tanto sucesso. O best – seller, escrito pelo psicólogo sueco Carl-Johan Forssén Ehrlin, chegou ao Brasil no final de 2015 com a promessa de fazer crianças dormirem em poucos minutos. Nós testamos e comprovamos que é verdade!

Leia mais:

Ter uma rotina é essencial para o sono do seu filho

Anúncio

FECHAR

Sono regular pode ser o segredo para bom comportamento

Tudo sobre o sono do seu bebê

O êxito do livro é validado por Marina Monteiro, mãe de Ana Beatriz, de 3 anos e 10 meses. Apesar de não ter dificuldade para dormir de segunda a sexta, já que brinca bastante na escola e fica cansada, a menina demora um pouco mais para dormir em alguns finais de semana e feriados, quando o livro é uma salvação para mãe. A descoberta foi feita em um dia como estes, mas de extrema angústia. “Ana Beatriz estava há três horas tentando dormir, com muito sono e chorando desesperada. Resolvi pesquisar ‘táticas para acalmar a criança e fazê-la dormir’ e achei o livro disponível para download”, conta.

Mais do que depressa, a mãe baixou a história e leu para a filha, que dormiu em menos de 20 minutos. Depois desse dia, Marina passou a contar a saga do coelhinho para a filha sempre que ela dava mais trabalho para relaxar.

Livro publicado recentemente no Brasil foi sucesso de vendas primeiro nos EUA (Foto: Divulgação)

Livro publicado recentemente no Brasil foi sucesso de vendas primeiro nos EUA (Foto: Divulgação)

Além do relaxamento, inserido por meio de técnicas terapêuticas e palavras específicas, que ajudam as crianças a dormirem mais rápido, a obra também oferece outro benefício. “O melhor não foi nem ela dormir rápido, mas sem fazer birras”, desabafa Lilian Cristine Cardoso, mãe de Vitória, de 4 anos. O livro dá tão certo, que a pequena Vitória até já percebeu o truque. “Ela gosta do livro, mas tem dias que não me deixa ler porque sabe que vai dormir logo. É muito esperta”, lembra a mãe.

 

10 coisas que você não sabia sobre o sono do seu filho

Seu filho ronca? Leve-o ao médico

Testamos

Depois de conhecer os relatos das mães, resolvi verificar se o livro também ajuda outras pessoas da família a fazerem as crianças dormirem e procurei meu primo Eduardo, de 4 anos. A mãe dele, Renata Muroya, me disse que em dias sem muita rotina e com visitas em casa, típicos casos de final de semana, Dudu demora mais para dormir. Lá fui, então, encarar este desafio.

Jantei com o Dudu e acompanhei toda a preparação para dormir, que inclui escovar o dentes e fazer inalação. Depois ele deitou na caminha e apenas com a luz de um pequeno abajur comecei a ler. Ele estava bem animado no início e isso me preocupou um pouco. Dudu só sossegou depois de ver a carinha do “mago”, na página 20. Na página 24 ele, finalmente, dormiu, mas eu continuei a ler a história até o final, como o autor orienta.

Já com Fernanda Etlinger, nossa diretora de marketing, o resultado não foi o mesmo. Sua filha Leila, de 4 anos, não se interessou pela história. Fernanda atribui isso ao fato de que ela mesma costuma criar as próprias histórias para a filha.

Distribuído pela editora “Companhia das Letrinhas”, o livro com o relato do coelhinho Roger que queria muito dormir, mas não conseguia, começa com instruções ao leitor. A orientação é que a história seja lida depois da criança gastar bastante energia e quando já estiver deitada na cama, pronta para dormir. Também é recomendado que ela não veja as ilustrações, feitas pela paulista Silvana Rando.

A narração da obra, que pode ser encontrado nas livrarias por cerca de R$ 25, também é importante para que o objetivo seja alcançado. As expressões que aparecem em negrito, como “agora você vai dormir” e “façam direitinho o que eu digo para relaxarem bem relaxados”, devem ser enfatizadas.  Já as frases em itálico precisam ser lidas de forma mais lenta. Elas funcionam quase como um mantra, já que repetem coisas do tipo “cada vez mais devagar, relaxando cada vez mais, cada vez mais… até dormir”. O livro também orienta o leitor a dizer o nome da criança e bocejar em alguns momentos.

Diferente da entonação em que deve ser lida, a história do livro em si não é muito complexa. A narrativa apresenta o coelho Roger, que apesar de cansado, não consegue cair no sono, como seus irmãos e todos os colegas da vizinhança. Então, a mãe do coelhinho resolve levá-lo para conhecer o Senhor dos Bocejos, o “mago mais bondoso do mundo”, que sabe como resolver o problema. E parece que este mago é mesmo poderoso! Pudemos perceber no nosso teste e nas entrevistas que fizemos que as crianças só dormem depois de conhecê-lo.

5 armadilhas para evitar na hora de treinar o sono do seu bebê

10 dicas para colocar em ordem o sono das crianças