Criança

Cantinas escolares substituem doces e salgados por pratos saudáveis

O cardápio inclui salada, legumes e frutas

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Escola não tem frituras, nem doces em seu cardápio (Foto: Shutterstock)

Cantina escolar vende doces apenas de sexta-feira (Foto: Shutterstock)

A cada cinco produtos vendidos em uma cantina escolar, apenas um é considerado nutritivo, segundo Henrique Mendes Jr., presidente da empresa de consultoria nutricional para escolas Nutrebem. Então a alimentação das crianças longe de casa acaba se tornando uma preocupação dos pais.

Leia também

Você já conhece? Prato mágico não deixa a comida da criança cair

Anúncio

FECHAR

Hipotireoidismo infantil: saiba quais sãos as causas e os sintomas

Mãe transforma alimentos orgânicos em personagens de filmes

Pensando nisso, a diretora Márcia Lavos adotou um sistema de refeição balanceada no Colégio Cantareira, localizado na zona norte de São Paulo, a partir deste ano. A cantina não dispõe opções de pirulitos, chicletes e frituras, como coxinha, rissole ou bolinha de queijo no menu. Doces são comercializados apenas às sextas-feiras. Itens como chicletes estão restritos para estudantes até o 7° ano. “Entendemos que uma boa alimentação contribui para o dia a dia escolar das crianças. Oferecer produtos assados, mais saudáveis e naturais é uma forma de reconhecer o padrão do colégio e respeitar a saúde física e mental de nossos alunos”, disse a nutricionista Mércia Cristina Strong, responsável pelo sistema de refeição no colégio, chamado Cantina Tia Márcia, que atende o colégio há 14 anos.

Existem dois tipos de serviços na Cantina Tia Márcia. Para os pequenos, os pratos são individualizados. Já para os pré-adolescentes o serviço é oferecido em formato de buffet. O cardápio básico da cantina é composto por dois tipos de salada, duas opções de carnes, arroz, feijão, legumes e frutas. Ingredientes normalmente recusados pelas crianças – como talos de agrião, de espinafre, couve e legumes – são misturados nas massas de produtos assados.

“Tivemos um caso em que a criança resistia muito em comer legumes, mas ela se interessava muito por pão. Por isso, passamos a inserir, aos poucos, a comida do almoço dentro do pão. Ela foi se acostumando, até que passou a almoçar normalmente”, contou Márcia.

A empresa Lanche&Co, que atende o Colégio Wellington Objetivo, localizado na Freguesia do Ó, na zona norte de São Paulo, também adotou lanches balanceados que atendem às necessidades nutricionais das crianças. Eles são servidos em porções individuais e de acordo com a faixa etária e o momento da rotina escolar.

Apesar de os lanches serem reforçados, não interferem no apetite da próxima refeição. Dentre o cardápio, além de comidas salgadas, estão sucos de fruta naturais, cookies e bolos, mas sempre com um ingrediente que seja fundamental para a saúde da criança. Nos doces, a cantina utiliza apenas açúcar orgânico.

A Lanche&Co faz parte do Food Revolution, projeto de educação alimentar para a vida, do chefe de cozinha Jamie Oliver, que luta pela alimentação saudável de toda a população mundial.

Entenda a diferença entre refluxo fisiológico e patológico

Descubra como substituir o sal por outros ingredientes nas refeições

Consumir ômega 3 na gravidez ajuda no desenvolvimento do bebê

Já que nem toda escola oferece essa alimentação saudável, a Nutrebem criou um sistema – lançado nos mercados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro – pelo qual pais conseguem acessar o cardápio da cantina e ainda podem selecionar os produtos que o filho pode ou não comer.

Na escola que fez a parceria com a Nutrebem, os estudantes usam um cartão da empresa para emitir o pedido da cantina por meio de terminais de autoatendimento disponibilizados pela empresa. O processo reduz as filas no caixa, elimina a necessidade de troco e dá aos pais a segurança de que o dinheiro da merenda foi usado adequadamente.

Com base nas informações coletadas, é emitido um boletim nutricional para cada aluno com tudo o que foi consumido no período e com sugestões de escolhas mais nutritivas.

Consumir açúcar e gorduras em excesso pode causar infertilidade

10 passos para uma alimentação saudável na gravidez

Como alimentar seu filho em cada fase da infância