Bebês

Entenda a diferença entre refluxo fisiológico e patológico

Normalmente, o tempo resolve o problema - Shutterstock
Shutterstock

Publicado em 22/01/2016, às 09h36 por Adriana Cury, Diretora Geral | Mãe de Alice


refluxo em bebês
Normalmente, o tempo resolve o problema (Foto: Shutterstock)

Principalmente antes dos seis meses de idade, o refluxo (quando o leite e outros alimentos voltam do estômago para o esôfago e depois para a boca) é muito comum nos bebês. Os sintomas são vômitos e regurgito que, em geral, ocorrem logo após a mamada, mas também podem acontecer algumas horas depois.

O refluxo fisiológico é normal e afeta 50% das crianças. De acordo com o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, filho de David e Rachel, com o crescimento e a inserção de alimentos mais consistentes na rotina, especialmente após os seis meses, os sintomas tendem a diminuir e desaparecer.

Leia também

Os gestos do seu bebê dizem muito! Saiba como entender

8 sinais de que seu filho é saudável e você nem sabia

Segundo o pediatra Claudio Len, pai de Fernando, Beatriz e Silvia, o problema é causado pela imaturidade de uma “válvula” localizada no final do esôfago, que amadurece ao longo dos primeiros meses. Ele afirma que o refluxo fisiológico não precisa de tratamento, porque não traz riscos à saúde.

“O leite materno é o melhor alimento para bebês com refluxo, pois é de fácil digestão e proporciona rápido esvaziamento gástrico, que diminui a incidência de retorno do conteúdo do estômago para o esôfago”, afirma Jorge.

refluxo em bebês (2)
Engasgos fortes e frequentes são sintomas do refluxo patológico (Foto: Shutterstock)

Quando é patológico

“Em alguns casos, a criança apresenta a Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE), em que surgem, entre outros sintomas, azia, náuseas e dor de garganta. Essas crianças devem ser acompanhadas durante toda a infância, pois enquanto para algumas os sintomas cessam, para outras podem surgir alterações clínicas associadas ao refluxo”, explica o neonatologista.

Os principais indícios são engasgos fortes e frequentes. Mas é importante observar que não há sintomas muito específicos para diagnosticar ou tratar a DRGE nesta idade. Mesmo assim, o diagnóstico é clínico e normalmente não são realizados exames.

10 fatos estranhos sobre os bebês que você nem imaginava

Sorrisos podem indicar o desenvolvimento dos bebês

Nos casos de refluxo patológico, podem ser tomadas medidas como uso de colchão antirrefluxo, não colocar o bebê para deitar logo após a mamada e, às vezes, uso de medicação para controle e alívio, sempre com orientação do pediatra. Se você notar que seu filho apresenta os sintomas, consulte o pediatra. Mas, vale lembrar: as consultas de rotina são sempre importantes.

Funchicórea: Para o bem ou para o mal?


Palavras-chave
Desenvolvimento

Leia também

Foto: Reprodução/Instagram

Família

Paula Fernandes revela estar com doença: "Tenho apenas alguns dias de vida"

Mãe de Neymar apaga foto com o neto por polêmica com Biancardi - Reprodução/ Instagram

Família

Mãe de Neymar apaga foto com Davi Lucca depois de polêmica com Mavie e Bruna Biancardi

Samsung Galaxy S23 - Divulgação

Aparelho top

Ofertas do dia: até 43% de desconto no Samsung Galaxy S23

O momento da escolha do nome é superespecial e deve ser vivido com muito carinho pela família - Getty Images

Bebês

210 nomes masculinos para bebês: ideias fortes (e lindas!) para você chamar o seu filho

De A a Z: confira os nomes femininos americanos para te inspirar - Getty Images

Bebês

Nomes americanos femininos: mais de 1000 opções diferentes para você se inspirar

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

(Foto: Silvio Avila/AFP)

Família

Doações para o Rio Grande do Sul: veja onde e como doar às vítimas de forma segura

Os nomes japoneses femininos são lindos, fortes e possuem significados encantadores - Getty Images

Bebês

Nomes japoneses femininos: 304 opções lindas para você conhecer