Família

Achado! Site mostra nível de danos à saúde causados por cosméticos

A plataforma Skin Deep tem informações sobre mais de 79 mil produtos

Isabela Kalil de Lima

Isabela Kalil de Lima ,Filha de Kátia e Fabio

Site facilita se informar sobre os componentes de cosméticos (Foto: Shutterstock)

Site facilita se informar sobre os componentes de cosméticos (Foto: Shutterstock)

Não é raro encontrar várias substâncias desconhecidas no rótulo dos cosméticos, mesmo assim geralmente não deixamos de usar o produto. Você sabe, porém, o que cada um deles significa? Mesmo um químico não saberia de cor cada uma delas.

Além disso, as letras costumam ser menores e vários termos estão em inglês, o que dificulta ainda mais o entendimento. Pensando nisso, a organização norte-americana EWG (Enviromental Working Group) criou um site que permite consultar informações sobre substâncias usadas em cosméticos e produtos de higiene e principalmente saber se elas são tóxicas.

Leia mais:

Anúncio

FECHAR

De olho no rótulo: saiba quais cosméticos são proibidos na gravidez

O que a gravidez faz na sua pele

Inverno: a estação pede cuidados básicos para peles e cabelos

A plataforma Skin Deep reúne mais de 79 mil produtos de diversos laboratórios e marcas. Também é possível encontrar o nível dos cinco riscos básicos de cada produto que passou por uma análise padronizada: dano geral, risco de câncer, toxicidade no desenvolvimento e no uso, alergias e restrições de uso. Também há três tipos de classificações para cada tipo de dano: baixo, moderado e alto.

Se a busca for feita pelo nome do produto e não apenas pela substância, ainda dá para saber se o cosmético foi testado em animais, quais são todos os ingredientes, onde encontrar e até comentar sua opinião. Ficar de olho em todas essas informações é muito importante, principalmente, para pessoas alérgicas, gestantes, lactantes, bebês e crianças.

“Muitos produtos apresentam conservantes nas fórmulas, como os parabenos, que nem todas as pessoas toleram”, explica a dermatologista Juliana Jordão, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

siteedit

As fórmulas dos produtos requerem ainda mais atenção das grávidas e das mulheres que estão amamentando. “Elas precisam evitar produtos com ureia e ácidos (apenas o hialurônico e o azelaico são permitidos)”, indica a dermatologista.

Para as mães de bebês e de crianças, a atenção também precisa permanecer. A recomendação da especialista é que se use nos pequenos apenas produtos da linha ‘kids’, específicos para a faixa etária, ou aqueles neutros, feitos para pele alérgicas ou sensíveis.

Gravidez e estrias: entenda a relação e saiba como se cuidar

Entenda a polêmica que envolve o talco da Johnson & Johnson

Entenda as causas do aparecimento de brotoejas na pele dos bebês