Especiais

6 coisas para fazer quando sua melhor amiga tiver um bebê

Saiba exatamente como ajudá-la nesse momento

selo_seminario_oficial
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

ajudar-amiga-gravida-COM-SELO

Planeje com ela um dia só das garotas (Foto: Shutterstock)

Nos últimos nove meses você fez sua melhor amiga se sentir a gestante mais importante de todas. Debateu nomes de bebês, testou o assento do carro com ela e até pesquisou sobre enjoo matinal. Quando ela disse que estava se sentindo enorme, você disse o quanto ela estava radiante. Agora o bebê nasceu e você não sabe mais o que fazer?

A verdade é que ela precisa do seu apoio e da sua amizade mais do que nunca. A revista norte-americana “Parents” selecionou algumas dicas para você que vão fazer sua amiga se sentir especial e, com certeza, vão fazer com que os dias dela fiquem menos estressantes nessa nova fase.

Leia também

Anúncio

FECHAR

Vem aí o Seminário Internacional Mãe Também é Gente

Conheça os palestrantes do Seminário Mãe Também é Gente

Inscreva-se para o Seminário Internacional Mãe Também é Gente

1. Alimente-a bem, mas não só no jantar

Claro, comida parece óbvio e uma lasanha pode até não parecer grande coisa, mas acredite: entre amamentar, passar noites em claro e trocas de fralda sem fim, a chance de sua amiga conseguir se alimentar com tranquilidade é a mesma de conseguir preparar um jantar para a vizinhança inteira. Em outras palavras, não vai acontecer, mas você pode ajudar.

Comida caseira feita por amigos e famílias são adoráveis e muito apreciadas. Mas um fluxo muito grande de visitantes pode ser estressante, mesmo que elas tragam comida. Considere organizar uma logística para isso. Coordene com um grupo de pessoas dispostas a ajudar como as entregas serão feitas e em que dias da semana. O café da manhã e o lanche da tarde também são bem-vindos.

2. Dê a ela uma zona livre de culpa

Entre todas as mensagens, ligações e e-mails que estão chegando no celular da sua amiga, ela está se sentindo muito especial, mas talvez não esteja dando conta de responder todo mundo. Lembre-se: Na maior parte do tempo ela só tem uma mão disponível. Então, uma das melhores coisas que você pode fazer por ela é dar permissão total para ficar fora do radar.

Deixe-a saber que você estará por perto para o que ela precisar, mas, enquanto isso, você dará um tempo para que ela possa saborear totalmente essa nova fase sem ter a obrigação de responder a cada notificação que chega ao telefone dela.

Na próxima vez em que for enviar uma mensagem, em vez de perguntar “como você está?”, ofereça ajuda. Por exemplo: “Estou no supermercado, você precisa de alguma coisa?”.

3. Apareça com algo para ela

Ela está vivendo no mundo das camisetas largas e das leggings confortáveis. Sua amiga já tem itens adoráveis para o bebê, então leve algo legal para ela. Não importa se é um batom ou uma caixa do chocolate preferido, tenha uma atitude não esperada e não relacionada ao bebê. Com certeza vai surpreender e deixá-la nas nuvens.

4. Fique um tempo com o bebê

Depois das primeiras semanas, o número de visitantes geralmente cai e sua amiga pode se sentir mais solitária. Marque uma visita durante a semana e fique com a criança para que a mãe possa ter tempo de tomar um banho quente e secar os cabelos, ou até tirar uma soneca.

Entenda a importância da amizade entre mães de primeira viagem

A maternidade vai te transformar e seu companheiro precisa saber disso!

Existe sexo depois da gravidez?

5. Tire uma tarefa das mãos dela

As mãos da sua amiga estão literalmente cheias. Veja, em seu círculo social, quem pode ajudar a fazer as tarefas e não deixá-la sobrecarregada. Pode ser uma ajuda na organização da casa, por exemplo.

6. Planeje um dia de garotas para o futuro

Nos primeiros meses, sua melhor amiga não vai querer a pressão de ter que se arrumar para um happy hour com as amigas. Você pode planejar um dia especial, como uma ida à manicure ou uma noite no restaurante que ela mais gosta, alguns meses mais para frente. Vai ser ótimo para ela olhar no calendário e ver que tem planos que não envolvem o bebê.

*Traduzido da revista norte-americana “Parents”.