Especiais

Viagem com as crianças: a carteirinha de vacinação está em dia?

Alguns lugares exigem um cuidado a mais quando o assunto é vacinação

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

A vacinação das crianças é um assunto de saúde recorrente. A gente já sabe que carteirinha em dia é fundamental, para proteger nossos filhos e as outras pessoas que convivem com eles. Mas algumas situações exigem um cuidado especial, como é o caso das viagens que planejamos, seja durante as férias ou em algum feriado. “Quando vamos viajar, nossos filhos precisam estar com a carteira de vacinação toda preenchidinha de acordo com a idade, e algumas vacinas especiais também podem ser necessárias”, conta o dr. José Paulo Ferreira, pediatra da Unimed e pai de Anna Clara e Mariana.

As crianças, principalmente as menores, ainda têm um sistema imunológico frágil, que vai se desenvolvendo. Por esse motivo, são mais vulneráveis a algumas doenças. Na hora de viajar, é essencial procurar se informar sobre o lugar escolhido, para saber da ocorrência de doenças específicas e tomar as providências necessárias. Se ficarmos de olho nessas duas questões (condições do lugar de destino e carteira de vacinação em dia), é só aproveitar a viagem.

Leia também

Anúncio

FECHAR

3 vacinas que a grávida precisa tomar

Tudo o que você precisa saber sobre vacinação

“Uma das vacinas mais comuns que são necessárias para quem vai viajar é a imunização contra a febre amarela, que é oferecida pela rede pública de saúde”, explica José Paulo. Aliás, nossa rede pública de saúde oferece todas as vacinas que são obrigatórias pelo Calendário Nacional de Vacinação.

Não existe nenhuma fiscalização para verificar se a carteira de vacinação das crianças está em dia, mas alguns países exigem comprovantes de vacinas específicas, por isso é sempre bom se informar antes de planejar a viagem.

Foto: Shutterstock

Foto: Shutterstock

Destino escolhido a dedo

Para José Paulo, alguns lugares devem ser evitados quando se tem criança pequena entre os passageiros. Claro, depois que temos um filho, planejamento faz parte do dia a dia, por isso é melhor deixar as aventuras para um outro momento da vida e escolher lugares mais seguros, com melhor infraestrutura e possibilidade de procurar ajuda em caso de imprevistos. Isso vale também para algumas doenças.

Atualmente, a dengue também é uma doença que atinge grande parte da população, por isso é melhor evitar lugares onde estão os focos da doença. Alguns países têm fortes incidências de febre amarela, é melhor deixar para visitá-los quando a criança crescer um pouco. Nessa hora, os pais devem se informar e pensar no que é melhor para os filhos, tomando cuidado para que um momento gostoso em família não se torne uma complicação mais tarde.

7 respostas sobre a vacinação contra polio e sarampo

Perder a caderneta não é motivo para deixar de vacinar seu filho

Outro conselho que José Paulo dá para os pais de seus pacientes é evitar cruzeiros com crianças muito pequenas. Isso porque, além de serem no meio do mar, sem a possibilidade de procurar um centro de saúde especializado, os cruzeiros normalmente são repletos de turistas, pessoas de vários lugares diferentes convivendo em um ambiente restrito, por isso os bebês ficam suscetíveis a infecções que podem não fazer mal a um adulto, mas causar doenças graves em crianças, principalmente as menores de 4 meses.

Por isso, se informar sobre o local escolhido e ficar de olho na situação atual do destino é fundamental. Depois disso, é só cair na diversão!

Lugar certo

As grandes capitais do país possuem o Centro de Vacinação Especial,onde são disponibilizadas vacinas que não são aplicadas em postos de saúde comuns. O site da Sociedade Brasileira de Imunizações também tem mais informações sobre o assunto: http://www.sbim.org.br/