Criança

Saiba o que é dislalia infantil, o distúrbio do Cebolinha

Conhecida também como “desvio na fala”, essa condição tem várias causas diferentes e pode ser tratada com um especialista em fonoaudiologia

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

Dislalia infantil

Se seu filho já está na fase em que fala de tudo, mas ainda troca algumas palavras e, principalmente, algumas letras, é hora de prestar atenção. Pode ser que ele sofra de uma condição chamada de dislalia infantil, ou desvio da fala. Como o personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, as crianças que têm esse distúrbio trocam várias letras ao falar, mesmo sem perceber.

“As principais características da dislalia infantil são as omissões de e substituições de fonemas na fala”, explica a fonoaudióloga Valéria Abib, mãe de Peter e Nicole e responsável pelo Setor de Fonoaudiologia da Associação Fluminense de Reabilitação. Esse desvio, segundo a especialista, não tem causas neurológicas e pode ter a ver com, por exemplo, a estrutura da boca do seu filho: alterações dentárias ou freios linguais curtos.

Anúncio

FECHAR

O problema pode surgir desde o começo da aquisição da fala, quando seu filho começa a pronunciar as primeiras palavras e nessa fase ainda não é considerada uma doença. “Mas os pais precisam ficar atentos para que as alterações não persistam”, indica a especialista.

Cebolinha, o personagem da turma da Mônica com dislalia infantil Foto; Divulgação)

Cebolinha, o personagem da turma da Mônica com dislalia infantil (Foto: Divulgação)

Não existe uma estatística precisa de quantas crianças desenvolvem esse problema e em quantas delas essa condição persiste, mas sabe-se que o processo de crescimento varia muito de criança para criança. A partir dos 4 anos, quando muitas das crianças começam a aprender a ler e escrever, já é possível perceber algum tipo de alteração na fala do seu filho.

“Se os pais demorarem muito para levar o filho em um especialista da área, ele pode crescer com estas dificuldades de fala e ter até problemas de aprendizado na escola”, comenta Valéria Abib. Por isso, se você notar qualquer alteração na boca, lábios ou ouvidos do seu filho, leve-o imediatamente a um fonoaudiólogo que possa fazer a avaliação correta.

Leia também:

6 mitos e verdades sobre aparelhos dentários que você não sabia

Mordedor: alívio para os primeiros dentes

Quando nascem os primeiros dentinhos

Os pais também precisam estar sempre atentos: as crianças aprendem a falar copiando os pais, por isso vão imitar até mesmo as palavras que eles falarem de forma errada. “Os pais são os modelos que serão copiados pela criança, assim como os adultos que permanecerem com ela, então devem falar o mais devagar possível para que a criança possa ouvir, processar, e planejar sua fala”, explica a especialista.

Lembre-se: apenas o fonoaudiólogo pode fazer a avaliação, orientação e reeducação da fala, além dos encaminhamentos para tratamentos necessários, dependendo do caso.