Criança

Fiquem atentos: Crianças magras também podem ter colesterol ruim alto

Entenda as causas mais comuns do problema e como tratá-lo

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

abre - colesterol alto nas crianças

O colesterol alto também pode ter origem genética (Foto: Shutterstock)

Embora seja mais frequente nos adultos, está cada vez mais comuns que crianças tenham colesterol alto. Na verdade, todo mundo tem colesterol, uma gordura essencial para o funcionamento do organismo, mas existe o LDL, colesterol ruim, e o HDL, que é o bom. Enquanto o segundo remove o excesso de gordura dos vasos, o primeiro faz com que ela se acumule.

Leia também

Quando desconfiar de anemia nas crianças?

Anúncio

FECHAR

Hipotireoidismo infantil: saiba quais sãos as causas e os sintomas

Sete dicas para fazer exame de sangue

O problema, então, é quando os índices do LDL estão altos. Segundo André Falud, presidente do Departamento de Aterosclerose da Sociedade Brasileira de Cardiologia, chefe do setor de dislipidemia do Instituto Dante Pazanese de Cardiologia e pai de Eduardo e Alexandre, hoje os hábitos de vida estão cada vez mais irregulares.

A doença, porém, não está necessariamente relacionada aos hábitos de vida. Mesmo crianças que não estão acima do peso podem ter o problema. Isso acontece devido à hipercolesterolemia familiar, ou seja, quando o colesterol alto tem origem genética. “Existem famílias que tem colesterol alto e isso é transmitido geneticamente para os filhos”, afirma André.

miolo

O LDL é o colesterol ruim e o HDL é o bom (Foto: Shutterstock)

O principal tratamento é adotar o estilo de vida saudável e uma alimentação com menos gordura e rica em fibras. Quando necessário, o médico pode receitar remédios, mas isso é mais utilizado nos casos da doença hereditária. Segundo o especialista, a mudança de hábitos costuma ser muito eficaz.

Além dos motivos citados, outros fatores podem fazer aumentar o colesterol. É o caso de alguns medicamentos e de doenças como o hipotireoidismo. “Antes de dizer que é genético, é necessário afastar a suspeita dessas causas secundárias”. Quando a doença for realmente hereditária, precisa investigar o histórico de casos na família.

O diagnóstico é feito por meio do exame de sangue e todas as formas de colesterol alto tem tratamento. De acordo com o médico, o problema geralmente começa na infância ou na adolescência, por isso é tão importante começar a tratar desde cedo.

A maioria das crianças que têm esse problema, não o adquire por causa dos fatores citados acima. Sedentarismo, o excesso de comida gordurosa e a taxa de obesidade aumentando nas crianças são alguns dos principais fatores que causam a doença na infância. “Cada vez mais as crianças estão dentro de casa, sem fazer atividade física”, comenta o médico.

Como e quando praticar esportes na infância

Fique atento: crianças também podem ter osteoporose

Associada a adultos, pedra nos rins também atinge crianças