Recém-Nascido

Essa carta aberta de uma mãe ao aeroporto vai te surpreender 

Ela foi obrigada a jogar quase 15 litros de leite no lixo

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Jessica Coakley Martinez costuma viajar a trabalho e bombear o leite materno (Foto: Shutterstock)

Jessica Coakley Martinez costuma viajar a trabalho e bombear o leite materno (Foto: Shutterstock)

Jessica Coakley Martinez passou por um episódio nem um pouco agradável no aeroporto Heathrow, em Londres, na Inglaterra.  Ela é mãe de um bebê de oito meses que mama no peito e sempre precisa viajar a trabalho. Para seu filho não ficar sem leite quando ela está longe, ela faz como muitas outras mães: tira e congela.

Leia mais:

Leite materno pode deixar bebê mais inteligente

Anúncio

FECHAR

Mãe de prematuro doa 57 litros de leite enquanto não pode amamentar

5 coisas surpreendentes que podem afetar sua produção de leite materno

Jessica começou sua postagem no Facebook com um aviso: “Eu não costumo postar algo tão pessoal, mas não me lembro da última vez em que eu me senti tão chateada.” Em seguida, ela fala sobre o quão difícil é conciliar maternidade com trabalho. Ainda mais quando o trabalho exige viagens.  “Quando você tem filhos e amamenta, estar longe deles por 15 dias envolve uma gestão de cuidados complicada.”

Jessica conta que meses antes da viagem, bombeou dia e noite seu leite e congelou na esperança de alimentar o bebê enquanto estivesse fora. “Para ajudar a aliviar a culpa, resolvi bombear a cada momento possível. Entre minhas reuniões, apresentações, almoços e jantares de negócios, táxi e longas esperas nos aeroportos”, escreveu ela.

Jessica e o filho de 8 meses (Foto: Reprodução Facebook Jessica Coakley Martinez )

Jessica e o filho de 8 meses (Foto: Reprodução Facebook Jessica Coakley Martinez )

“Isto significava tirar o leite sentada em vasos sanitários, em banheiros pequenos de aviões, em inseguras salas de reunião, em chuveiros e até dentro de armários, porque nem todos os lugares estão preparados para receber uma mãe que amamenta”.

Ela também conta que bombeava nas viagens e tinha que convencer a equipe do hotel em que estava hospedada a guardar as malas com leite congelado na geladeira da cozinha. Essas malas também eram carregadas em aeroportos e Jessica sempre tinha que dizer que ela era mãe e que elas estavam lotadas de apenas leite materno. Tudo sempre correu bem até o dia em que ela precisou passar pelo aeroporto de  Heathrow.

Eles fizeram Jessica jogar quase 15 litros de leite materno congelado no lixo. Ela disse que se ofereceu para ir verificar a mala com leite, que já tinha sido despachado, mas não a deixaram porque ela não podia atravessar o limiar de segurança.

Pediatra responde as 11 maiores dúvidas sobre amamentação

Mãe mostra que leite materno se adapta às necessidades da criança

“A única maneira de verificar a mala com leite era sair do aeroporto e entrar novamente. Mesmo assim, não me deixariam porque àquela altura o leite tinha virado um item suspeito que deveria ser confiscado. Parecia que a equipe de segurança estava orgulhosa de negar cada pedido que eu fazia, já desesperada e quase chorando”, lembra.

Jessica termina sua carta aberta, dizendo: “A segurança do aeroporto é extremamente importante, mas esta complicação foi pessoal. Afetou a saúde do meu filho e o meu bolso. Tive que gastar na compra de fórmula, que não era necessária. Foram duas semana de amamentação perdidas”.

Leite de vaca x Fórmula infantil

Quase tudo sobre amamentação

*Traduzido da revista norte – americana “Parents”