Família

Pais alugam brinquedos pela internet ao invés de comprar novos

Iniciativa também ajuda no sentimento de posse da criança

Tanara de Araújo

Tanara de Araújo

Clubinho da Didi Adriana

Adriana Verotti defende o consumo consciente no seu projeto (Foto: Divulgação/Mari Guimarães)

A cada fase, é natural que a criança ganhe e perca interesse em determinados brinquedos. Difícil é lidar com tantas bonecas, carrinhos, jogos e outros itens que vão se acumulando. Diante disso, algumas empresas passaram a oferecer aluguel de brinquedos. Uma delas é o Clubinho da Didi, criado pela advogada Adriana Verotti, mãe de Alice.

Por enquanto, os serviços do site podem ser utilizados apenas para moradores de Belo Horizonte. O plano, segundo Adriana, é abrir o leque para São Paulo a partir de 2017.

O Clubinho da Didi disponibiliza os produtos via aluguel quinzenal ou mensal. Numa faixa de preços entre R$ 5 (brinquedos de montar) e R$ 140 (mini veículo), é possível escolher brinquedos, acessórios, fantasias, livros, entre outros. Os produtos são todos higienizados e entregues montados, com pilhas recarregáveis. A remessa e a devolução são feitas em casa.

Anúncio

FECHAR

A ideia estimula várias frentes. A primeira é o consumo consciente e a preservação do meio ambiente. A empreendedora lembra que esses conceitos não são inerentes à criança, então é papel dos pais apresentá-los a partir de suas próprias atitudes. “Adotar o aluguel não só é econômico – alguns brinquedos são bem caros –, mas ajuda a família a implementar esse comportamento sustentável na prática”, diz.

Foi inspirada nesse pensamento que a engenheira Olívia Medeiros, mãe de Mateus, de quase 1 ano, começou a alugar os brinquedos. “Sempre defendi questões de sustentabilidade, então achei o sistema perfeito: tem custo acessível, a criança tem uma variedade maior de opções e brinca no período que realmente precisa”, conta.

 

Mateus_clubinho da didi_

Mateus, com o brinquedo alugado (Foto: arquivo pessoal/reprodução @clubinhodadidi)

A mãe relata que ainda não lidou com a negativa do filho em devolver uma peça. “Mas, quando ocorrer, vou explicar que ele precisa cuidar e entregar de volta – só assim poderá experimentar novos brinquedos.”

Alugar brinquedos também é uma boa saída para quem não tem muito espaço em casa. A proprietária do site ressalta que, como as crianças ficam com os produtos só o tempo do aluguel, devolvendo-os ou trocando-os por outros, reduzem-se as chances de aglomeração.

Com o lema “diversão compartilhada”, o Clubinho da Didi também defende a questão do sentimento de posse. Adriana relata que percebeu por meio da própria filha essa mudança. “Ela costumava dizer ‘é meu, é meu’ quando eu separava os brinquedos para o site. Hoje já diz ‘é de todo mundo!’.”

 

Leia também:

Brinquedos ajudam criança a aprender ciência na prática

Brincar NÃO É sinônimo de ter brinquedos!

O brinquedo certo para cada idade

Quem ama não guarda os brinquedos

Por que meu filho troca de brinquedo o tempo todo?