Família

Covid-19 e doenças respiratórias: como diferenciar, prevenir e 9 dicas para aumentar a imunidade

As doenças respiratórias costumam ser mais comuns no outono e no inverno - Shutterstock
Shutterstock

Publicado em 07/07/2021, às 09h02 - Atualizado às 09h48 por Cinthia Jardim, filha de Luzinete e Marco


Com a chegada do inverno, alguns sintomas de doenças respiratórias comuns podem ser facilmente confundidas com a covid-19. Por isso, é muito importante a família redobrar a atenção e adotar hábitos no dia a dia dentro de casa para prevenir que elas apareçam na estação.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, as alergias atingem, em média, 30% da população mundial. A boa notícia é que dá para prevenir os “gatilhos” que costumam desencadear esses problemas. Para tirar as principais dúvidas sobre o tema, além de como diferenciar as doenças respiratórias da covid-19, conversamos com o Dr. Eduardo Rosset, Médico pediatra e pneumologista pediátrico do Instituto de Pediatria e Puericultura (IPP), pai de Sophia e Carolina.

As doenças respiratórias costumam ser mais comuns no outono e no inverno (Foto: Shutterstock)

O que são doenças respiratórias?

As doenças respiratórias podem ser definidas como aquelas que afetam as estruturas do sistema respiratório, composto por boca, nariz, traqueia, pulmão e faringe. Esse problema pode acometer pacientes de qualquer idade e, na maioria das vezes, é associada ao estilo de vida da família ou até mesmo a qualidade do ar.

Por que as doenças respiratórias são mais comuns no inverno?

Geralmente, as doenças respiratórias de inverno são mais comuns por passarmos mais horas dentro de um ambiente fechado, sem sol e pouco úmido. Como resultado, pode haver mais mofo e bolor, que são alimentos para os ácaros.

No inverno, essas doenças costumam se espalhar com mais facilidade – é verdade -, mas não devemos baixar a guarda! Nos outros meses do ano, é muito importante adotarmos hábitos saudáveis que ajudam no fortalecimento do sistema imunológico. Fazendo pequenas mudanças em casa, é possível atingir esse objetivo!

Quais são as doenças respiratórias mais comuns?

Bronquiolite: é uma infecção respiratória aguda, causada pelo vírus sincicial respiratório. A doença pode comprometer as vias aéreas de pequeno calibre (bronquiolos terminais), causando um processo inflamatório. Os principais sintomas são: tosse, cansaço, falta de ar associada a sintomas virais. Vale lembrar ainda que o quadro pode ter uma semana, mas há um pico da doença entre o terceiro e quinto dia. “A partir do terceiro dia, a criança pode ter uma piora significante. O tratamento é sempre suporte clínico e levar para o pronto-socorro caso ela tenha falta de ar”.

Asma: essa doença crônica pode causar falta de ar, tosse, cansaço e aperto do peito com chiado. Para desencadear o problema, basta uma mudança de temperatura, tabagismo passivo, fatores emocionais e contato com alérgenos, como poeira, mofo, entre outros. Veja mais sobre asma em crianças.

Quadros de broncoespasmo: geralmente, pode ser desencadeado a partir de quadros virais, como o da influenza, ou ainda os bacterianos. Os sintomas costumam ser bastante parecidos com as crises asmáticas, mas as crianças podem apresentar ainda aqueles gripais, como dor de garganta, lacrimejamento nos olhos, coriza e obstrução nasal.

Rinite: neste caso, é possível que ela seja alérgica ou infecciosa. O problema ocorre quando há uma inflamação das mucosas nasais, bastante comum entre as estações do outono e também do inverno. Os sintomas mais comuns sçao: coriza, obstrução nasal, espirros e coceira nos olhos. Saiba como prevenir as crises de rinite. 

Sinusite: diferente da rinite, esse problema causa a inflamação da mucosa dos seios da face. A coriza tende a ter um lado mais esverdeado ou amarelado, acompanhado por congestão nasal importante, febre e até mesmo cefaleia (dor de cabeça), apesar de ser mais comum nas crianças mais velhas.

Pneumonia: a inflamação afeta os pulmões e pode ser tanto viral, como bacteriana. Quando há uma suspeita da doença na criança, os pais precisam ficar de olho em sintomas como: febre, falta de ar e cansaço. Nos exames físicos, os especialistas podem indicar o diagnóstico a partir da ausculta dos pulmões. Como identificar pneumonia em crianças.

Com a vocid-19, é possível confundir os sintomas. Por isso, é muito importante que os pais busquem pela orientação do pediatra dos filhos (Foto: Shutterstock)

Como prevenir doenças respiratórias em crianças

  • Evite sair de casa com bebês menores de quatro meses
  • Mantenha o calendário de vacinação em dia
  • Evite lugares com aglomerações ou fechados demais
  • Mantenha o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses e, se possível, até os dois anos. O leite materno ajuda na transmissão de anticorpos, mantendo os filhos protegidos
  • Retire o pó dos ambientes dentro de casa
  • Evite muitos bichos de pelúcia
  • Se possível, evite contato com tabagistas, pois a fumaça pode desencadear crises alérgicas
  • Evite idas desnecessárias ao pronto-socorro, pois a criança pode ter contato com outras pessoas doentes e que estão transmitindo vírus
  • Opte por um umidificador em cada nos dias mais secos

Doenças respiratórias x covid-19: como diferenciar?

Para diferenciar os casos de doenças respiratórias comuns dos de covid-19, o primeiro passo é saber se a criança teve contato com uma pessoa que testou positivo, tanto em casa como na escola. “Em relação aos sintomas, os mais frequentes são: febre, dor no corpo, prostração, mal-estar e dor de garganta, mas não não sintomas específicos da covid-19. Sempre deve ser feito o diagnóstico diferenciado com os quadros frequentes nessa época do ano”, explica.

Além disso, o Dr. Eduardo Rosset alerta para outros dois sintomas importantes: “Devemos olhar ainda os quadros gastrointestinais, como diarreia e vômito. Eles podem estar presentes nos casos da covid-19, o que também ajudaria a diferencias de outras doenças respiratórias. Na dúvida, os pais devem sempre perguntar para o pediatra da criança se ela deve ou não fazer o exame e se já é o momento certo de realizá-lo, a partir do início dos sintomas”.

Dicas para aumentar a imunidade da família

  • Mantenha o calendário de vacinação em dia, principalmente a vacina da influenza
  • Tenha uma alimentação saudável e com refeições balanceadas e variadas
  • Evite alimentos industrializados, justamente por serem pouco nutritivos
  • Mantenha a hidratação em dia
  • Lave o nariz com soro fisiológico diariamente, pois o processo ajuda a manter as vias aéreas umedecidas
  • Mantenha o ambiente dentro de casa bem limpo
  • Evite o contato com roupas que ficaram guardadas por muito tempo
  • Realize a higiene de brinquedos, principalmente se eles forem compartilhados com outras crianças
  • Ter um sono adequado ajuda no fortalecimento do sistema imunológico. Veja como fazer a higiene do sono em família.

Leia também

Mãe de Neymar apaga foto com o neto por polêmica com Biancardi - Reprodução/ Instagram

Família

Mãe de Neymar apaga foto com Davi Lucca depois de polêmica com Mavie e Bruna Biancardi

Foto: Reprodução/Instagram

Família

Paula Fernandes revela estar com doença: "Tenho apenas alguns dias de vida"

Modelo apontada como mãe de filha de Neymar rebate notícia pela primeira vez - (Foto: reprodução/Instagram)

Gravidez

Modelo que estaria grávida de Neymar quebra silêncio e fala pela primeira vez sobre boatos

Retrato de Kate Middleton e foto que foi usada de inspirição - Reprodução: Instagram

Família

Novo retrato real de Kate Middleton recebe chuva de críticas: "Horrível e desrespeitoso"

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Família

"Sensação de alívio", diz mãe de criança abusada por marido de cantora gospel

Foto: Arquivo Pessoal

Família

Jovem trans engravida e vira pai solo: "Não era muito respeitado"

Foto: Reprodução/Instagram

Família

Poliana Rocha explica motivo de ter feito quarto só para filhas de Zé Felipe em mansão

(Foto: Silvio Avila/AFP)

Família

Doações para o Rio Grande do Sul: veja onde e como doar às vítimas de forma segura