Bebês

Tenha um filho que come de tudo em 7 passos

A cadeirinha de comer será o lugar favorito do seu filho!

Logo-Parents (1)
Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Foto: Shutterstock

Nos primeiros dois anos, seu filho vai aprender a se sentar, ficar em pé, andar, correr, falar – e também vai aprender a comer. Isso vai muito além de usar os talheres. Aprender a comer também envolve desenvolver interesse em experimentar novos sabores e texturas, tornando-se quase um desbravador da comida!

Por isso, é desde cedo que seu filho precisa ter uma alimentação rica e saudável. “É uma ação preventiva aos comedores seletivos”, afirma Karen Le Bilon, autora de Getting to Yum: The 7 Secrets of Raising Eager Eaters (Chegando ao “hummm”: os 7 segredos dos comedores ansiosos), em entrevista à revista americana Parents.

Estudos comprovam que as primeiras experiências do bebê com alimentos sólidos tem um impacto gigante em como eles vão se alimentar no futuro. Por isso, existem algumas coisas que pode fazer desde já para que seu filho não tenha nenhum tipo de preconceito com comida. Vamos a elas:

Anúncio

FECHAR
  1. Reflita e insista: hábitos não mudam do dia para a noite. Estudos mostram que o interesse dos bebês em um novo alimento só aumentam – ou cessam completamente – depois que ele é oferecido pelo menos nove vezes à criança. Por isso, persista! “Assim como eles aprendem a ler, as crianças também aprendem a comer corretamente”, afirma Karen Le Bilon.
  2. Ofereça de tudo: sirva todos os tipos de alimentos e sabores para o seu filho até os dois anos. Isso fará com que as crianças recusem menos os alimentos.
  3. Varie as texturas: quem gosta de diferentes texturas desde cedo tende a continuar gostando. Uma possibilidade é servir purês acompanhados de algo mais sólido, como batata-doce ou cenouras cozidas.
  4. Faça refeições com ele: o ato de comer é mais do que ingerir os alimentos. É estar em família, ver o outro, se comunicar. Se você come enquanto seu filho come, ele prestará mais atenção ao prato próprio, vendo que a refeição também é importante e interessante para os adultos.
  5. Mude o relógio: que tal uma sopa para o lanche? Ou cenouras cozidas no café da manhã? Seu filho ainda não tem noção de qual hora do dia é adequada para qual alimento, o que significa que você pode tentar de novo em horários aleatórios. Experimente.
  6. Deixe seu filho fazer bagunça: não saia brigando com ele porque ele está brincando com a comida logo de cara. Crianças precisam ter uma experiência com a comida, e isso é para todos os sentidos. Quando eles estão descobrindo um novo alimento, é parte da “investigação” pegá-lo com as mãos, sentir.
  7. Sirva frutas e vegetais em todas as refeições – e nos lanches: talvez você não consiga seguir esse plano tão a risca, mas tente. Assim, seu filho terá uma oferta regular de alimentos saudáveis e vai se acostumar com eles.

 

Leia também:

Seu filho tem medo de experimentar uma comida nova? Entenda a neofobia alimentar

Comida sólida para o bebê: quando e como começar

Sem estresse: sair da rotina alimentar nas férias não é um problema

Pais&Filhos TV