Notícias

Mãe recebe bilhete absurdo de professora sobre cheiro do cabelo

Os colegas foram acusados de reclamarem, mas não foi bem isso o que aconteceu

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Reprodução / Facebook Tionna Norris)

(Foto: Reprodução / Facebook Tionna Norris)

No começo desta semana, uma mãe ganhou o apoio de diversos internautas com um post onde relata o racismo sofrido por sua filha. Ela recebeu um bilhete da professora pedindo para que ela diminuísse o uso de óleo de coco no cabelo da filha, porque ela estava sofrendo bullying dos colegas.

O bilhete da professora dizia: “Eu entendo a necessidade do uso de óleo de coco no cabelo de Amia, mas por favor não use tanto assim. As crianças estão reclamando que o cabelo dela fede. Se você tem que usar isso diariamente – por favor faça suavemente, para que as crianças nao a provoquem”.

A mãe, Tionna Norris, não ficou nada feliz com essa observação, como era de se esperar. Afinal, a menina supostamente sofre bullying e ainda é a mãe dela que recebe um bilhete, a fim de que tenha que mudar seus hábitos e cuidados?! No Facebook, Norris compartilhou a história e disse: “*aplica a mesma quantidade de óleo de coco* vocês todos sentirão a mágica dessa garota negra. Sinceramente, mãe negra sem desculpas. Ps: óleo de coco não fede”.

Anúncio

FECHAR

O desabafo viralizou e recebeu o apoio de milhares de usuários que compartilharam a história da menina. As pessoas estão indignadas que a professora tenha tido a audácia de enviar o bilhete à mãe da vítima.

Norris e seu noivo conversaram com o diretor da escola sobre o caso e, de acordo com outra postagem da mãe, as crianças nunca reclamaram do cheiro do cabelo de Amia. Aparentemente, a reclamação era da professora.

Leia também:

Criança diz não poder ir à festa porque aniversariante é negra

Creche de São Paulo causa revolta nos pais ao pedir que as meninas estejam com cabelos “lisos”

Pai cria curativos para pele negra após não achar opções para o filho