Família

Férias na casa dos outros: manual de instruções

Aproveite o melhor do tempo off dividindo as responsabilidades com pessoas que você pode contar

Carolina Porne

Carolina Porne ,Filha de Sandra e Rubens

shutterstock_384237007

Foto: Shutterstock

As férias ficam bem mais divertidas quando tem mais gente envolvida! Além de mais pessoas para brincar, viajar e curtir os dias de folgas, amigos e familiares também ajudam a organizar a programação e dividir as tarefas, bem como hospedar as crianças por algumas noites.

“A ajuda mútua entre famílias pode ser benéfica para todos. E, para que seja algo bom para todos, é preciso que todos os adultos envolvidos conversem entre si com bastante antecedência para discutir e acertar todos os detalhes da parte que cabe a cada um deles e, principalmente, que todos estejam abertos para retribuir o favor que os outros familiares farão, seja cuidando dos filhos do casal que vai viajar sozinho, seja cuidando da casa, dos animais ou das plantas enquanto os donos dela viajam”, afirma a psicóloga Olga Tessari.

 

Anúncio

FECHAR

Eles na casa dos outros

A gente sabe: a preocupação bate quando nossos filhos vão dormir uma noite ou mais na casa de outras pessoas. Para ficar com mente e coração tranquilos, o diálogo com a criança é fundamental. E, claro, ver o lado bom da coisa. Estar com outras famílias, longe de seus pais, colabora para que ela adquira novos hábitos, conheça novos alimentos, aprenda a lidar com as diferenças e respeitá-las, além de se adaptar a novas rotinas. Muito rico!

“A melhor forma de orientar as crianças é informar que elas estarão na casa de outras pessoas e que é obrigação delas seguirem todas as ordens e orientações dos donos da casa e das pessoas mais velhas. Que é importante elas respeitarem os mais velhos, cooperando com o que for preciso de forma que elas possam voltar mais vezes àquela casa, sendo sempre bem aceitas por todos”, acrescenta a psicóloga.

E quando você é o anfitrião? A especialista afirma que você não deve ter receios caso precise chamar a atenção de outras crianças. “Conhecer melhor as crianças a serem hospedadas e ter a liberdade de dar a elas o mesmo tratamento dado aos próprios filhos possibilita que os anfitriões se sintam mais tranquilos na conduta a seguir com as crianças visitantes. Uma coisa é certa e fundamental: se você hospeda alguém na sua casa, a casa é sua e você tem todo o direito de chamar a atenção de qualquer hóspede, de qualquer idade, quando ele contraria qualquer regra ou hábito da SUA casa”, conclui.

 

Leia também:

Ainda dá tempo: “Frida e eu” é programão para as férias

Sem estresse: sair da rotina alimentar nas férias não é um problema

Fazer NADA. Planos para as férias dessa mãe bombaram na internet

Pais&Filhos TV