Família

Bem-vinda, Maria Rita, que chegou com o ano novo!

Nossa diretora editorial, Mônica Figueiredo, saúda a nova colunista da Pais&Filhos, Maria Rita e divide suas lembranças

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Tenho pela Maria Rita um amor infinito. Vi essa menina nascer, crescer e tenho um orgulho dela absurdo. Pela pessoa que ela é, pela busca constante de se aprimorar, de ser presente em tudo que faz e toca, pela família que ela formou, enfim… Muita coisa. Rita é especial. Séria pra caramba, nasceu “profissional” essa menina. Ao mesmo tempo, é uma das pessoas mais engraçadas que conheço. Claro, gente inteligente, né? Por isso, é com enorme – mas põe enorme – prazer que conto para você: Maria Rita agora é nossa colunista. Estará aqui com a gente todo mês, dividindo sua visão de mundo, valores e a experiência de ser mãe de dois filhos. Sim, ela canta pra caraca. Essa Maria cantora você conhece. Mas posso garantir e você vai conferir: ela pensa e escreve ainda melhor! Como é possível? Pois é… É possível. Bem-vinda, Maria Rita, minha querida! A casa é sua!

Tenho muito orgulho do nosso time de colunistas. Tenho muita gratidão por cada um deles, que tem a generosidade de dividir com a gente seus pensamentos, sacadas, ensinamentos. Adoro saber o que as pessoas pensam, adoro refletir com elas, mesmo na diferença. Essa é a base bacana da verdadeira troca de experiência. Não é pra concordar cegamente. Mas refletir, aprender, ter a chance de mudar. Nossos colunistas fazem isso comigo a cada mês. Essa troca, muito rica, vale tudo para nós aqui da Pais&Filhos.

Anúncio

FECHAR

O primeiro trabalho da Maria Rita foi comigo, na revista Capricho. Ela chegou para fazer atendimento ao leitor. Tinha 16 anos. Em dois minutos, já era a mascote da redação. Cresceu, mudou para os EUA e se tornou essa grande estrela da música. Para mim, além da grande admiração e respeito, fica sempre a vontade de pegar no colo, as muitas lembranças. Quando eu estava grávida, passei três meses em Nova York, Rita estava lá, estudando, e foi minha companheira naquele tempo de espera e calma. Sempre conversamos muito, muito, muito. Ficamos um tempo sem nos ver, quando nos reencontramos, sentamos para almoçar à 1 da tarde e levantamos da mesa às 2 da madrugada. Sentiu? Nossa conversa não acaba nunca! E, agora, você é nossa convidada especial para participar desse papo.

Não podíamos estar mais felizes e iniciando o ano de forma melhor. E olha que isso é só o começo! &

Confira aqui a primeira coluna escrita por Maria Rita

 

Pais&Filhos TV