Especiais

Calma, a mudança de humor em mães de recém-nascidos é normal!

Veja algumas maneiras de lidar com esse momento

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

Para muitas mulheres, estar em casa com um recém nascido é como estar em uma montanha russa. Um dia, você está eufórica porque seu filho está dormindo no calor de seus braços. No outro, você está chorando: você não somente percebe que não pode sair para um simples almoço com seus amigos, mas também está assustada com a repentina e explosiva ação intestinal de seu filho.

Não se preocupe. “Essas mudanças de humor são perfeitamente normais”, diz Hilda Hutcherson, PhD em ginecologia e obstetrícia na Universidade de Columbia, Nova Iorque. “Depois de dar a luz, as mulheres passam por dramáticas mudanças nos níveis de hormônio, o que afeta diretamente seu humor.”

Em outras palavras, não fique surpresa caso se sinta superalto astral e de repente muito mal – tudo isso em apenas uma tarde. “Muitas mulheres não estão preparadas para a intensa mudança de humor que elas passam,” explica Dr. Hutcherson. “Elas acham que estarão totalmente extasiadas com o seu novo bebê o tempo todo, e pode ser que elas se sintam culpadas caso tenham dúvidas ou sentimentos negativos.”

Anúncio

FECHAR

A revista norte-americana “Parents” mostra os  sentimentos comuns que as mães de primeira viagem passam e algumas sugestões sobre como lidar com esse momento:

Como assim eu estou no comando?

Por mais nervosa que você pôde estar sobre o ato de dar a luz, não é nada comparado com a ansiedade que muitas mulheres passam quando colocam seu filho pela primeira vez no bebê conforto para levá-los para casa. Esses sentimentos de insegurança geralmente acontecem durante as primeiras semanas.

Isso é um resultado, em parte, de estar sobrecarregada pelas pressões de ser mãe: amamentação, trocar fraldas, e dormir pouco. Então aceite a ajuda que aparecer em seu caminho, e também procure ajuda. Família e amigos vão entender quanto valiosa pode ser essa ajuda.

Especialistas dizem que as mães de primeira viagem precisam de uma rede de pessoas que elas possam ligar e dividir as suas preocupações. “É muito importante mulheres que tiveram bebês conversem entre si – mesmo que tenham filhos de diferentes idades,” diz Ann Douglas, autora de The Mother of All Pregnancy Books (A mãe de todos os livros de bebês, em tradução livre). Além de elas darem conselhos em cuidados com o bebê, podem tranquilizar as mães  que em breve elas se sentirão mais confiantes sobre sues habilidades maternas.

Isolamento, tristeza, felicidade

Sozinha em casa

Independentemente de quanto você estava ansiosa para a chegada do seu bebê, ficar em casa com um recém nascido pode fazer as mulheres se sentirem isoladas. Lisa Kirshebaum, de Cranston, Rhode Island, relembra dos primeiros meses com o seu filho. Por causa do tempo gelado, ela relutava em tirá-lo de casa: como conseqüência ela passou a maior parte do inverno dentro de casa e sozinha. “Ainda bem que eu entrei em um grupo de bebês. Foi um ótimo incentivo e eu fiz amigas de verdade”, disse ela.

Como aprendeu Kirsherbaum, um bom remédio para isolamento é se conectar com outras mães de primeira viagem assim que se sentir disposta para fazer isso. Ache – ou crie – um grupo com mulheres que você conheceu no pré natal ou na sala de espera do pediatra.

Depressão pós-parto

Se sentir triste ou preguiçosa sem explicação é bem normal, especialmente durante as primeiras semanas. Isso é porque os níveis de estrogênio e progesterona caem, diz Margaret Howard, PhD, psicóloga e diretora clinica do diretório de distúrbios pós-parto do hospital Woman & Infants, em Providence.

“Ao mesmo tempo, tem uma rápido aumento nos níveis de prolactina, que habilita a produção de leite. Até esses hormônios se estabilizarem, mães de primeira viagem podem esperar se sentirem pra baixo às vezes.”

Pode ser que você passe por um caso de depressão pós parto. Especialmente se você for mãe pela primeira vez. Muito simples, você está de luto pela perda de sua vida antiga, e isso é de se esperar. Entretanto, se os seus sentimentos virarem profunda tristeza, falta de esperança, e um senso de distanciamento do bebê e do resto do mundo, você pode estar sofrendo de depressão pós parto. Se esses sentimentos persistirem, ligue para o seu obstetra.

A Maravilha de tudo

Claro, nem todos os sentimentos do pós parto são ruins. Muitas mulheres sentem um inesperado sentimento de espanto durante o primeiro mês do bebê. Aproveite esses picos de energia e explosões de alegria gravando observações sobre seu filho em um livro de bebê, por exemplo. Ao saborear essas emoções positivas, você será capaz de contornar isso na próxima vez que se sentir para baixo.