Criança

Vem brincar com a gente

Para as crianças, um sinônimo de felicidade é a hora de brincar. Além de ser divertido, estimula várias funções cognitivas do corpo

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Brincadeira de criança, como é bom, como é bom. A música é antiga, como muitos dos tradicionais brinquedos que vêm à mente quando falamos em brincar. Há quem faça questão de explicar aos filhos como eram as brincadeiras da nossa geração, aquelas de rua, de corrida, da turma do bairro. E, falando em rua, dez entre dez avós podem confirmar que tirar as crianças da rua, ao fim da tarde, era a tarefa mais difícil do dia. Isso porque brincar foi — e é — muito, muito bom! Além de fazer um bem danado para o desenvolvimento da criança.

O tempo é outro, precisamos concordar. Sai de cena a rua, entra o playground. Saem as vilas, entram os condomínios-clubes com sua megaestrutura para entreter a criançada. Sai o Atari e entra o Play Station. Sai o futebol de botão e entra o Fifa 14, com os jogadores da última Copa, as lesões e cartões amarelos, que são atualizados via wifi a cada partida (da vida real).

Anúncio

FECHAR

Mas será que os jogos de antigamente saíram mesmo de moda? Para Carlos Antônio Tilkian presidente da Brinquedos Estrela, uma das principais fabricantes de brinquedos aqui do Brasil, a resposta é não. “Os brinquedos tradicionais não saem de moda, mas seguem por um processo de evolução e modernização para acompanhar essa nova geração infantil.” Isso quer dizer que o Banco Imobiliário ganha a sua versão com pagamento via cartão de crédito e, no Autorama, os carrinhos agora conseguem trocar de pista. Nas embalagens dos brinquedos de culinária e faça você mesmo, sai a imagem da menininha e o tom rosa e entram os meninos e meninas brincando juntos, visto o crescimento dos meninos nesse segmento.

Por que brincar é bom?
Na avaliação de Teresa Ruas, especialista em desenvolvimento infantil e consultora da Fisher-Price, quanto mais experiências os pais promoverem com as crianças, mais estrutura emocional e coordenação ela poderá ter. “Inclusive nos primeiros anos de vida, que são a base desse desenvolvimento.”

Confira o vídeo especial que preparamos para o Dia das Crianças: