Criança

Seis erros que devem ser evitados ao escovar os dentes

Especialista explica por que uma escovação malfeita pode comprometer a saúde bucal

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

escovar os dentes

Por mais que os cirurgiões-dentistas reforcem sempre a importância de uma boa escovação dental para a saúde geral da população, são poucos os adultos e crianças que fazem uma perfeita higiene dos dentes e da boca. De acordo com o doutor Artur Cerri, pai de Rodrigo e André, coordenador da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), a correta higiene dos dentes e da gengiva é um ponto crítico para toda a saúde bucal.

“Mesmo quem escova os dentes no mínimo duas vezes por dia não está livre de doenças se essa tarefa não é realizada de maneira adequada. A cárie é a principal delas, mas a situação pode piorar com o tempo caso não haja uma mudança no padrão adotado. É o caso das inflamações e infecções, que podem, inclusive, migrar para outras partes do corpo.”

Anúncio

FECHAR

 A seguir, o dr. Artur Cerri aponta os seis principais erros cometidos ao escovar os dentes e ensina a adultos e crianças o que deve ser feito:

 1. Escovar os dentes imediatamente depois de comer

Logo depois das principais refeições, ou mesmo após comer uma fruta ou um doce, algumas pessoas seguem direto ao toalete para escovar os dentes. Apesar de ser uma atitude louvável – sinalizando que a pessoa se importa com a saúde bucal – vale ressaltar que o ideal é, primeiramente, fazer um bochecho com água para reduzir a acidez e só depois realizar a escovação. Dessa forma, a acidez bucal diminui e a correta higienização é facilitada – protegendo o esmalte dos dentes.

Não use creme dental de adultos em crianças – justamente porque a formulação para adultos tem uma concentração maior de componentes que podem não fazer bem aos pequenos (flúor, em especial). Resumindo: criança pequena tem de usar escova pequena e pasta de dente infantil.

2. Ser rápido demais ao escovar os dentes

Infelizmente, ainda tem muita gente que escova os dentes “por obrigação”. Ou seja, a pessoa compreende a importância desse hábito diário saudável, mas é vencida pela preguiça – e acaba escovando os dentes rapidamente, sem fazer uma boa limpeza. É importante saber que uma boa escovação dental não acontece em menos de dois minutos. As pessoas ficariam surpresas ao saber quanto um minuto a mais de escovação pode fazer pela saúde bucal.

Uma dica legal para ajudar a incentivar as crianças a adotarem esse hábito é praticá-lo junto com elas. Desde pequeno, o bebê pode receber massagens na gengiva com o propósito de limpar a boca e eliminar o excesso de açúcar do leite. Assim que os dois primeiros dentes despontarem, os pais podem começar o exercício da escovação, tornando esse hábito familiar à criança. Há dedeiras especialmente desenvolvidas para a higiene oral dos bebês. Depois, opte por comprar escovas pequenas, de cerdas macias, coloridas. O ideal, no começo,  é usar água morna – a fim de não provocar nenhum estranhamento por parte da criança.

3. Não dar a mesma atenção a todos os dentes

É comum pessoas começarem a escovar os dentes com vontade e ir perdendo interesse aos poucos, limpando muito mal algumas partes. Tem gente, inclusive, que só usa fio dental nos dentes da frente. Isso está completamente errado! Dividindo a boca em quatro partes (lados direito e esquerdo, em cima e embaixo), devemos escovar cada parte por pelo menos trinta segundos – sem esquecer de escovar também a língua.

O ideal é escovar os dentes da criança duas vezes ao dia: de manhã, após o café da manhã, e antes de ir para a cama. Tente escovar de forma suave, com movimentos constantes, por dois minutos – dando atenção especial aos dentes molares (de trás), porque é onde normalmente surgem as primeiras cáries. Alerta: não adianta escovar os dentes antes de ir para a cama se a criança, depois de deitada, ainda vai tomar mamadeira. Procure adotar uma rotina que inclua a escovação dos dentes como último cuidado antes de dormir.

4.  Colocar muita força na escovação

Está certo que um dos propósitos da escovação é remover manchas e restos de comida. Mas não é necessário limpar os dentes como se estivesse polindo prata. Ao aplicar muita pressão na escovação, quem acaba saindo no prejuízo é o esmalte dental, que tem justamente a função de proteger os dentes das bactérias. Além disso, o esmalte é a parte mais clara do dente. O ideal é fazer movimentos circulares, tendo em vista que escovar não significa esfregar com força. Para os que têm dificuldade em controlar a força, uma solução é adotar escovas elétricas com sensores de pressão.

5. Não enxaguar o suficiente

Depois de uma correta escovação, enxaguar a boca é um passo muito importante e que muitas pessoas, por pressa, não dão a devida atenção. Ao lavar bem a boca, o indivíduo se livra de várias partículas, como restos de comida, que poderiam contribuir para a formação das temíveis placas bacterianas. Por isso, vale a dica: enxágue bem a boca antes e depois da escovação, com bastante água limpa e fria.

6. Descuidar da limpeza e da substituição da escova

A escova de dente é uma ferramenta fundamental para que seja feita uma perfeita higiene oral algumas vezes ao dia. Por ser bastante requisitada, ela também deve ser devidamente limpa logo após cada escovação para não acumular restos de alimento e se transformar numa colônia de bactérias. Além disso, esse instrumento tão importante para a saúde deve ser substituído por um novo ao menos três vezes ao ano. Existem modelos de escovas que indicam quando sua vida útil está chegando ao fim. O custo-benefício vale muito a pena, já que manter a saúde bucal é fundamental para ter boa saúde geral.

Para tornar essa atividade divertida para as crianças, deixe que elas escolham a escova com que mais se identifica. Hoje em dia, quase todo personagem de desenho acaba indo parar nas escovas, xampus e demais produtos de higiene infantil. Troque de escova a cada três ou quatro meses.

Consultoria: Prof. Dr. Artur Cerri, coordenador da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD)