Criança

Saiba por que as crianças estão sofrendo com depressão e ansiedade cada vez mais cedo

As crianças estão sendo diagnosticadas com problemas psicológicos por influencia das redes sociais cada vez menores. Precisamos prestar atenção!

Carolina Piscina

Carolina Piscina ,filha de Ana Maria e Osvaldo

ansiedade

De acordo com novos números divulgados pelo jornal Daily Mail, crianças entre 4 e 17 anos estão sendo encaminhadas para tratamentos psicológicos por distúrbios de ansiedade e depressão devido às redes sociais, principalmente por causa da exposição excessiva e do ciber bullying que estão ocorrendo com cada vez mais frequência.

Esses problemas podem ser evitados e contornados com a atenção e ajuda dos pais. As crianças muito pequenas, apesar de não conseguirem se expressar através de palavras, também vivenciam emoções como tristeza, raiva e medo. Ao longo da infância, elas desenvolvem habilidades para lidar com esses sentimentos.

Anúncio

FECHAR

No período de um ano, cerca de 3.000 crianças foram encaminhadas aos tratamentos psicológicos na Universidade de Sussex, na Inglaterra. Os especialistas afirmam que esses pacientes estão sofrendo casos de estresse devido à pressão das redes sociais, exames escolares e até a sexualização precoce, que abre portas para práticas criminosas como a pedofilia.

Os pais devem dar a devida atenção a esses sinais, que tornam-se recorrentes na atual “Era Digital”. Os problemas normalmente são causados pelo ambiente estressante onde todos estão crescendo atualmente, com cobranças excessivas e pressão social. Para identificar algo de errado com o emocional do seu filho, a psicóloga e psicanalista Christine Bruder, fundadora do Primetime Child Development, destaca algumas coisas que podem servir como alerta: alterações significativas no padrão da alimentação, digestão e sono; diminuição do interesse em brincar e explorar o mundo e aumento ou diminuição da atividade física.

Para evitar que isso aconteça, é recomendável estar presente do dia a dia do seu filho. Não deixe-o exposto a qualquer tipo de violência, seja física, emocional, doméstica ou até mesmo aquelas que aparecem em cenas de filmes e programas de televisão. Além disso, controle e adie o máximo possível o acesso da criança às redes sociais. Criança precisa e tem o direito de brincar, acima de tudo.

Consultoria: Christine Bruder, psicóloga, psicanalissta e fundadora do Primetime Child Development.