Criança

Quando é preciso usar o tampão

O estrabismo deve ser tratado até os 6 anos de idade, com cirurgia ou tampão

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

O estrabismo é o desvio dos olhos (de um ou de dois) para dentro ou para fora. É quando eles não ficam paralelos como deveriam ficar normalmente. A criança pode nascer estrábica ou ficar depois dos dois anos de idade. Conheça os tipos de estrabismo e como tratar cada um.

Congênito

Quando a criança nasce com estrabismo, ela tem o tipo “congênito” e pode ter boa visão dos dois olhos ou não. A forma mais comum de estrabismo congênito é quando um olho (ou os dois) se dirige para dentro.

Anúncio

FECHAR

Nestes casos, acontece por causa do defeito na musculatura dos olhos, principalmente do músculo lateral, que funciona, resumidamente, como se fosse uma rédea de cavalo – puxando os olhos para dentro ou para a fora conforme a necessidade de movimento.

Se a criança não tem miopia ou hipermetropia, não são necessários os óculos, mas será feita a cirurgia de correção – que é realizada a partir do 1º ou 2º ano do bebê, caso a saúde esteja bem.

Depois que a cirurgia é feita, a criança poderá usar tampão e/ou óculos para recuperar completamente.

Acomodativo

Este tipo de estrabismo aparece na criança, geralmente, entre os 2 e 3 anos. O mais comum é acontecer nas que têm alto grau de hipermetropia ou alto grau de miopia.

Ele acontece porque o olho melhor força a vista e enxerga pelos dois olhos, sendo que o olho que tem problema fica “em repouso”.

O estrabismo acomodativo é tratado com tampão, que será colocado no olho que enxerga melhor; além disso, a criança precisará usar óculos para corrigir a visão. O médico oftalmologista Alfredo Tranjan, diretor clínico do Hospital de Olhos Tranjan, pai de Alvaro e Carolina, explica que a frequência do tampão vai depender do grau do problema e de cada caso. O médico responsável é que vai determinar quanto tempo por dia a criança usará.

Quando acontece de a criança desenvolver estrabismo bilateral (nos dois olhos), haverá um revezamento do tampão.

Em qualquer caso, porém, o tampão vai sendo tirado aos poucos, sempre com a indicação do médico. Vale lembrar que, sem ele, a criança poderá perder a visão do olho, não recuperando o problema muscular adquirido e ficando estrábica para o resto da vida. Dr. Alfredo é enfático: “caso os pais não levem seu filho para o oftalmologista antes dos 6 anos, a criança não recuperará a visão daquele olho. A cirurgia poderá ser feita, mas só por estética”, afirma.  

Desenvolvimento da visão

A visão começa a se desenvolver a partir do momento em que a gente nasce. Mas, a princípio, ela é bem borrada, e até os seis meses os olhos da criança apresentam movimentos involuntários.

A gente desenvolve nossa visão até os 6 anos. Por isso, é nesta idade que nós, pais, devemos ficar mais de olho para perceber qualquer alteração no comportamento das crianças que podem estar relacionados à visão. Muitos dos tratamentos, como no estrabismo, são possíveis somente durante essa fase para acontecer com eficácia.

 “Mesmo se a criança não apresentar qualquer problema aparente, os pais devem levar seus filhos ao oftalmologista com, pelo menos, 3 anos, para garantirmos que vai tudo bem com sua saúde oftalmológica”, recomenda Alfredo.

Como saber se meu filho tem problema na visão?

Alguns sintomas que os pais e professores podem perceber na criança com problema de visão: se ela se senta muito próxima da lousa ou da TV; Se não diferencia as pessoas quando estas chegam em casa; Se copia a lição errada; Se tem dificuldade na hora da leitura.

“Muitas vezes, os professores perceberão as dificuldades de enxergar antes dos pais. Hoje, nos cursos das faculdades de pedagogia os educadores são ensinados a olhar tudo isso e auxiliar os pais com a saúde e bem-estar da criança”, finaliza Alfredo.