Criança

Coisas que você não sabia sobre o Castelo Rá-Tim-Bum

A arquitetura do Castelo foi inspirada nas obras do arquiteto espanhol Antoni Gaudí. Conheça outras curiosidades

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Quem nunca sonhou em ser amigo de um bruxo de 300 anos, brincar dentro de um castelo encantado cheio de personalidades incríveis e aprender uma novidade todo dia? Não precisa responder. É claro que sim! O realismo fantástico do Castelo Rá-Tim-Bum encantou e continua encantando crianças e muitos adultos saudosos, além de criar filas gigantescas no Museu da Imagem e Som (MIS), em São Paulo, para assistir a exposição baseada no universo de Nino e sua trupe.

Com um conteúdo de qualidade e principalmente lúdico (e coloridíssimo), os personagens se tornaram parte da educação de muitas crianças brasileiras. Quem nunca teve uma curiosidade desvendada pelo curioso Zequinha ou descobriu algum instrumento musical com o trio de passarinhos que moram em cima da árvore da Celeste, a cobra linguaruda do Castelo.

Anúncio

FECHAR

Tudo isso, junto com um cenário de cair o queixo, fizeram parte das tardes de muita gente. “O Cao Hamburger e eu inventamos juntos 90% dos personagens, 80% das situações, 80% dos locais onde as coisas aconteceriam e 70% dos quadros da atração”, conta Flávio de Souza, um dos criadores e roteiristas do programa, e ainda desvenda peculiaridades escondidas atrás do set de gravações.

“A arquitetura do Castelo foi inspirada nas obras do arquiteto espanhol Antoni Gaudí. Já o lustre que as fadinhas, Lana e Lara, moram é igual à lâmpada do seriado da Jeannie é um Gênio. A dupla de cientistas, Tíbio e Perônio, foi inspirada nos detetives Dupond e Dupont, personagens do livro As Aventuras de TinTin. A repórter Penélope tem tudo a ver com a personagem de mesmo nome do desenho animado A Corrida Maluca”, conta Flávio dando todos os detalhes. &

 

Pais&Filhos TV