Criança

Papinha é a alma do negócio

Depois que se tornou pai, Marcus criou uma empresa de papinhas orgânicas e saudáveis. Com uma pegada sustentável, nem os restos da produção viram lixo

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Quando Julia nasceu, o pai, Marcus Vinicius Doti não imaginava que além de filha ela seria sua inspiração, controle de qualidade e cliente de sua empresa Papinha FazBem, que produz refeições não industrializadas, livres de conservantes e sem adição de sal ou açúcar para bebês de seis meses a um ano e meio. A marca existe há 4 anos e conta atualmente com cinco linhas regulares, totalizando 30 papinhas diferentes: Orgânica, Frutas, Papazinho, Oito Meses, e Doze Meses.

De acordo com Doti, sua intimidade com a cozinha vem desde a infância. Criado na companhia de uma babá que, segundo ele, era uma cozinheira de mão cheia, adquiriu gosto e habilidade pelas receitas com ela. Além dos ensinamentos de sua babá, ele também fez um curso de gastronomia com o chef José Hugo Celidônio, um dos precursores da boa gastronomia no Rio de Janeiro.

Anúncio

FECHAR

Assim que Julia começou a se alimentar, ele viu que havia uma carência no mercado de alimentação para bebês e começou a fazer a alimentação da filha. “As receitas introdutórias foram fornecidas pela pediatra. Eu cozinhava em casa, dava para a Julia provar, dependendo da reação dela eu mexia e adaptava. Foi uma fase de construção de paladar”, conta.

 Não demorou para que a ideia de cozinhar uma papinha saudável para a filha se tornasse uma opção de negócio. Para viabilizar a ideia, Doti, que na época trabalhava na área de marketing do Senac, se matriculou em um curso de especialização em gastronomia na instituição e criou a empresa Papinha FazBem em sua tese.

Assim que transformou o hábito caseiro em uma empresa, Doti passou a contar com maior envolvimento de pediatras e nutricionistas. “O processo de produção é feito por um profissional de gastronomia, portanto, com conhecimentos sobre segurança alimentar e qualidade dos ingredientes”, conta.

Além de ingrediente orgânicos, as papinhas contam com itens naturais. Durante o processo, as papinhas são cozidas no vapor de água 100% filtrada, como forma de preservar cor, sabor e nutrientes.  

A empresa atende bebês de até 18 meses.​ “A razão de irmos até esta idade com a Linha 12+meses é para preparar o bebê para  sair das papinhas e entrar na rotina da alimentação familiar, seja dentro ou fora de casa. E assim, proporcionamos a oportunidade de a mãe agregar alimentos consumidos pela família como caldo de feijão, legumes ralados e ou cozidos à dieta da criança”, explica Doti.

De bem com a natureza

Os resíduos dos alimentos utilizados para a produção das papinhas é revertido em adubo que será utilizado nos canteiros do Shopping Open Mall, na Barra da Tijuca,  onde a empresa se encontra. “Como 100% do detrito da empresa é formado por cascas, aparas de verduras, legumes e casca de ovos, nós transformamos em adubo, usando o método simples de compostagem que é feito fora da empresa. O adubo gerado é usado nos canteiros do centro comercial

que estamos localizados.​​ Com isso contribuímos com menos geração de lixo”.

Segundo Doti, assim como a ideia de empresa, esse projeto também nasceu naturalmente, pois já costumava jogar as cascas de banana, batata, cenoura e ovos nas plantas do jardim.

Pais&Filhos TV