Criança

Pais também precisam de limites

Acompanhar o dia a dia da educação dos filhos é uma coisa... Outra é exagerar e criar clima com a escola a cada probleminha

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Na escola, as crianças vivem suas próprias experiências e aprendem a lidar com as situaões cotidianas. Cabe aos pais aprenderem seu papel nessa história: manter um acompanhamento, mas sem se intrometer demais. De acordo com a orientadora educacional do Colégio Santa Maria, em São Paulo, Maria A lmirall, mãe de Beatriz e Bruno, os pais têm medo de que os filhos passem por situações desagradáveis e não percebem que elas também trazem aprendizados. “Se oa pais interferem demais na vida escolar do filho, eles tiram oportunidades importantes para a criança aprender sobre a própria vida.”

Comportamento abusivo

Anúncio

FECHAR

O que alguns educadores avaliam é que os pais, querendo proteger seus filhos excessivamente, tentam trazer para a escola as dinâmicas que o filho vive em casa. “A escola deve deixar claro que as diferenças entre as suas regras e as de cada família faz sentido. Ali, a criança estará interagindo em uma esfera pública”, explica Carolina de Aragão Escher Marques, pesquisadora em Educaçãon e mãe de Manuela e Vinícius.

Um dos argumentos que se podem perceber por detrás da atitude adotada por certos pais em relação à escola é o de que, por pagarem a mensalidade, ela é uma prestadora de serviços. Esse pensamento faz com que queiram privilégios para seus filhos, pedindo à escola até mudanças no horário de entrada e saída dos alunos, ou reavaliação de notas para os filhos mais crescidos.

Problemas infantis x soluções adultas

Problemas de relacionamentos com os colegas também afligem muias mães e pais, que resolvem entrar em ação – e brigar pelo filho. Basta ouvir o relato de um desentendimento que aconteceu entre o filho e outa criança, que logo vão reclamar com a coordenação. Alguns têm até abordagens mais agressivas, culpando a escola e os pais da outra criança.

“Quando há conflitos entre alunos, a escola costuma intervir de forma pedagógica, utilizando a situação para educar. Se o pai interfere, também tira a autoridade do professor e isso não é um bom exemplo para o aluno”, comenta Marcia. E é bom pensar que, à medida que a criança for crescendo, poderá se sentir incomodada com a constante intervenção dos pais. “Se isso acontece, o filho pode passar a esconder assuntos importantes”, alerta Carolina.

PAIS NOTA 10 – Para ficar tranquilo em relação à escola do seu filho e participar de forma adequada, procure:

– Tirar todas as suas dúvidas sobre como funciona a escola em que seu filho estuda. Depois, é confiar.

– Se for necessário, encaminhe um bilhete à professora ou peça uma reunião – onde você vai para falar, mas também para ouvir sobre seu filho.

– Caso seu filho tenha dificuldades em alguma tarefa ou ao fazer a lição de caa, mantenha a calma. Tente ajudar, aconselhe que peça nova explicação à professora – mas sem achar de cara que é o caso de alterar as regras e os pedidos da escola.

– Lembre-se que seu filho precisa viver as próprias experiências – inclusive coisas que vão fazê-lo sofrer, sim. Mostre-se disponível para ajudá-lo, a resolver os problemas, mas sem resolver por eloe. É o jeito de ajudá-lo a adquirir, aos poucos, experiência e confiança para lidar com a vida.

Consultoria: Carolina de Aragão Escher Marques, pesquisadora em Educação pela Unicamp e mãe de Manuela e Vinícius; Marcelo Cunha Bueno, diretor da escola Estilo de Aprender, Colunista da Pais&Filhos e pai do Enrique; Marcia Almirall, orientadora educacional do Colégio Santa Maria e mãe de Beatriz e Bruno.