Criança

Muito bem acompanhado

Conheça os benefícios da brincadeira com os pais, com amigos e na escola

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Brincar com os filhos é uma delícia e pode fazer muito bem para todo mundo. Ao entrar na brincadeira, os pais podem desafiar seus filhos a irem além do que eles conseguiriam ir sozinhos. Mas orientar é bem diferente de comentar. A brincadeira tem de partir do desejo da criança. O adulto pode sugerir uma ou outra coisa, sem imposições. Quando o pai ou a mãe participa da brincadeira e deixa a criança liderar, ela tende a usar um raciocínio mais rico e abstrato.

Quando transformamos o brincar em trabalho, controlando-o, nossos filhos pedem o interesse. Durante a brincadeira, a criança dá pistas de como ela é, o que sente e o que pensa, coisas que não conseguiria dizer de outra forma. Isso é fundamental para a relação entre pais e filhos. Além disso, brincando junto você pode transmitir brincadeiras da sua época e, assim, não perder as tradições.

Anúncio

FECHAR

Uma boa forma de brincar com as crianças é criar uma história e designar papéis para elas representarem. Dessa forma, elas se envolvem, têm mais facilidade de entender um enredo e desenvolvem habilidades necessárias para a aprendizagem da leitura.

Na escola

Escola é lugar de brincar, sim. Embora muitos pais acreditem que o filho só vai para a escola para estudar, a brincadeira serve como pano de fundo para a base pedagógica.

Os professores propõem as atividades já planejando a aprendizagem. Sua função é de mediar e facilitar a brincadeira. O ideal é que o professor não dê apenas aulas estruturadas e dirigidas, decidindo o que as crianças vão fazer e quando. Deve haver um equilíbrio entre fornecer as ferramentas e dirigir a brincadeira.

Entre amigos

É fundamental que a criança brinque com outras crianças. Isso favorece a sociabilidade e o desenvolvimento de sua personalidade. Ela começa a saber quem é, a fazer escolhas e discutir pontos de vista. “O fato de se posicionar diante de uma situação é algo importante e isso a gente só consegue fazer em grupo”, explica a pedagoga Edilene Modesto de Souza, filha de Durval e Davina. Quanto mais a criança tem socialização, mais vai compreender as regras.