Criança

Mãe solo perde guarda de filho após bater nele por ter gastado mais de R$2 mil em jogos online

A mãe perdeu a guarda do filho após bater nele com uma colher de pau - Reprodução/7 News
Reprodução/7 News

Publicado em 03/06/2022, às 10h48 por Redação Pais&Filhos


Uma mãe perdeu a custódia de seus filhos depois de bater em um deles com uma colher de pau quando ele usou o cartão de crédito dela para comprar videogames. A mãe solo, de 46 anos, confiscou o console de jogos do menino, pegou uma colher da cozinha e deu um tapa no traseiro dele depois de descobrir que ele havia gasto US$600 (R$2.800,00) no cartão.

O advogado disse que a mãe, de Gold Coast, em Queensland, na Austrália, teve um ‘estalo cerebral com uma criança difícil’ e ela estava ‘extremamente arrependida’. Ela se declarou culpada de agressão na quinta-feira no Tribunal de Magistrados de Southport, relatou o jornal 7News. O tribunal ouviu como o menino, que tem TDAH e autismo, usou o cartão da mãe desempregada para fazer a compra em março.

Depois de ser atingido com uma colher causando hematomas, o garoto de 10 anos atacou dando chutes na parede, que deixaram buracos. Os serviços de proteção à criança foram posteriormente informados sobre o incidente e a mãe, que não pode ser identificada por razões legais, admitiu ter batido no filho em uma entrevista com as autoridades.

A mãe perdeu a guarda do filho após bater nele com uma colher de pau
A mãe perdeu a guarda do filho após bater nele com uma colher de pau (Foto: Reprodução/7 News)

Os dois filhos foram tirados dela e agora ela só pode vê-los duas vezes por semana sob supervisão. O magistrado Mark Bamberry deu à mulher uma ordem de liberdade condicional de nove meses sem nenhuma condenação registrada. Ele simpatizava com a mãe, mas disse que a sociedade havia “abandonado” a punição física de crianças. Falando durante a sentença, ele acrescentou: “Aceito isso completamente fora do personagem. Posso entender por que ela fez o que fez. Eu só posso imaginar o quão difícil isso é como uma mãe solo com dois filhos para sobreviver.”

O ‘direito’ dos pais de bater em uma criança ganhou atenção considerável nos últimos anos após a legislação da Nova Zelândia aprovada em 2007 que proíbe o castigo físico de crianças. Em Queensland, mães e pais são capazes de usar força ‘razoável’ ‘sob as circunstâncias’ para corrigir ou disciplinar os filhos. A força extrema é ilegal, mas não é contra a lei que os pais usem disciplina como um tapa.

Se os pais usarem mais força do que o necessário, como usar instrumentos ou bater na cabeça ou no pescoço de uma criança, isso pode ser ilegal. O abuso infantil pode incluir questões como abuso físico, abuso emocional ou psicológico, abuso sexual e negligência. O abuso físico inclui bater, socar, esbofetear, estrangular, chutar, sacudir, morder, arremessar, queimar e quaisquer ações que prejudiquem o corpo da criança.


Leia também

Foto: Reprodução/Instagram

Família

Paula Fernandes revela estar com doença: "Tenho apenas alguns dias de vida"

Modelo apontada como mãe de filha de Neymar rebate notícia pela primeira vez - (Foto: reprodução/Instagram)

Gravidez

Modelo que estaria grávida de Neymar quebra silêncio e fala pela primeira vez sobre boatos

Saiba o que dizer no Dia do Afilhado - (Foto: Getty Images)

Família

Dia do Afilhado: mensagens e frases para mostrar o quanto ele é especial

Foto: Reprodução/Instagram

Família

Filho de Monique Evans não comparece ao casamento da mãe; entenda o motivo

Adolescente m4ta pais e irmão na zona oeste de São Paulo - Reprodução/ Rede Globo

Família

Adolescente de 16 anos mat4 pais adotivos e irmã após ser proibido de usar o celular

Amanda Kimberlly confirma gravidez, mas não foi confirmada a paternidade de Neymar - (Foto: reprodução/Instagram)

Família

Suposta mãe de filha de Neymar foi vista com jogador em Barcelona na balada

Modelo que estaria grávida de Neymar aumenta rumores com escolha dos padrinhos - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Modelo que estaria grávida de Neymar convida irmã e amigo do jogador para padrinhos

Foto: Reprodução/SBT

Família

“Faria novamente”, diz adolescente de 16 anos que mat0u os pais após ser proibido de usar celular