Criança

E se eu for chamado na escola?

Falta de atenção, desobediência com os professores… Essas são algumas das reclamações que os pais escutam quando são chamados. Saiba o que fazer

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Ser chamado para conversar com os professores ou diretores na escola do seu filho porque ele andou aprontando não é nada legal, para os dois lados. Muitas vezes a gente é pego no susto!

Alguns pais não conhecem o dia a dia dos filhos e interpretam o episódio como uma desobediência, aplicando castigos e punições sem conhecer a causa do problema. Normalmente, tem uma causa por trás, sim. E conversar com a escola é só a primeira etapa da investigação: depois, vale bater um bom papo com a própria criança.

“A escola solicita uma reunião com os pais com o objetivo de estabelecer uma parceria. Esse é um momento privilegiado para compreender juntos, a escola e a família, o que está acontecendo com a criança e também para definirem um plano para mudar esse quadro”, conta Teresa Bonilha, orientadora educacional da educação infantil do colégio Porto Seguro.  

Anúncio

FECHAR

Como a escola pode ajudar?

Os professores devem acompanhar de perto o aluno que apresentar esse tipo de problema, e procurar diferentes estratégias para envolver a criança dentro do ambiente escolar de maneira saudável. “Os objetivos são descobrir seus conhecimentos prévios e utilizar isso a favor da sua aprendizagem, e incentivar os vínculos do aluno com seus professores para que ele confie nos profissionais da escola e sinta-se seguro para se colocar e conversar”, explica Teresa.

Veja algumas dicas que você pode colocar em prática dentro de casa:

Conversar, sempre! – Manter uma relação aberta e de confiança, para que a criança fique à vontade para conversar e contar o que acontece no seu dia a dia.

Estudo supervisionado – Crie uma rotina diária destinada aos estudos. Sempre que puder, acompanhe esse momento de perto e ofereça ajuda, se seu filho tiver alguma dificuldade. Esse acompanhamento serve para ver quais sãos os pontos fracos e, eventualmente, descobrir o que tira a atenção do seu filho.

Abrir os horizontes – O mais importante de todos: incentivá-lo durante as tarefas a procurar novas áreas de interesse. Muitas vezes, o aluno só está desestimulado com a escola e o método de ensino. Vale a pena fica de olho nesses fatores.