Criança

Células-tronco podem ser extraídas de dentes de leite

A polpa do dente possui tecidos vivos com células que podem curar diversas doenças no futuro

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Quando o dente de leite cai, os pais criam diferentes rituais para tornar o momento mais especial, como jogar no telhado ou colocar embaixo no travesseiro. Mas além de representar uma etapa do desenvolvimento da criança, a queda desses dentinhos é uma possibilidade de obtenção de células-tronco que podem salvar vidas.

De acordo com o CEO da empresa R-Crio, especializada no isolamento, expansão e criopreservação de células-tronco extraídas da polpa de dente de leite e em mapeamento genético, Rogério de Andrade, pai de Letícia e João Vitor, a polpa do dente de leite tem tecidos vivos com células mesenquimais, ou seja, com capacidade de se transformar em diferentes tipos de células, hábeis de reparar tecidos musculares, tecidos cardíacos, cartilagem, tecido nervoso, ossos, cartilagem e superfície ocular.

Anúncio

FECHAR

Para que seja possível obter as células-tronco dos dentes de leite, é necessário que eles sejam extraídos em consultório odontológico, ao invés de caírem naturalmente, pois é preciso que a polpa do dente ainda esteja viva. Se o dente cair antes, o local pode ter contato com alimentos e bactérias e morrer. A recomendação para extrair os dentes de leite no consultório do odontopediatra não é só para aproveitamento das células-tronco. A Associação Brasileira de Odontopediatria explica que arrancar o dente em casa pode causar pequenos traumas à dentição da criança.

Assim que as células são retiradas do dente, vão para um meio de cultura para se manterem vivas e regeneradas. Em seguida, são encaminhadas para o laboratório para a realização do isolamento e expansão.

Andrade explica que muitos pais têm dúvidas em relação ao uso das células-tronco do cordão umbilical e do dente de leite. De acordo com ele, os dois tipos de armazenamento são complementares, e cada tipo de célula-tronco extraída pode ser usada para diferentes finalidades. “O material extraído do cordão umbilical costuma ser utilizado no tratamento de doenças do sangue, como leucemia”.

Pesquisas

Por enquanto a utilização de células-tronco de dentes de leite está no âmbito da pesquisa clínica. Mas existem aplicações em estágios avançados aqui no Brasil, conta Andrade. E atualmente existem mais de 100 grupos de pesquisa, com resultados no tratamento de diabetes e regeneração de tecidos ósseos.

“Acredito e torço para que no futuro as células-tronco extraídas do dente de leite sejam utilizadas para o tratamento de muitas doenças. Acredito que estamos no caminho certo”, finaliza Andrade.