Criança

Afinal, criança pode ou não pintar o cabelo?

Duas especialistas explicam a questão para ajudar os pais na resposta

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

tingir-cabelo-crianca

Ressalte a beleza natural dos seus filhos por meio de elogios (Foto: Shutterstock)

Mais cedo ou mais tarde seus filhos vão perguntar:  “posso pintar meu cabelo?” Para que você responda essa questão com mais segurança, conversamos com dois especialistas para entender até que ponto fazer coloração na infância é prejudicial.

“Não aconselho crianças a pintar o cabelo. Nessa fase, elas ainda estão em formação, e a pele do couro cabeludo é bem sensível. Então, a coloração pode causar alergias capazes de ser carregadas por toda a vida”, afirma Nathalia Rodrigues, formada em neonatologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, e mãe de Maria Clara.

A contraindicação é partilhada pela médica Aline Pantano Marcassi, especialista em dermatologia pediátrica da Amato Instituto de Medicina Avançada, filha de Sonia Maria e Nelson. “Não é recomendável tingir os cabelos de crianças, pois elas têm os fios mais frágeis e o couro cabeludo mais sensível”, esclarece.

Anúncio

FECHAR

Conforme a dermatologista, nesta fase, o sistema imunológico está em amadurecimento. “Além disso, o manto hidrolipídico, que protege a pele do couro cabeludo, não está completamente constituído, o que eleva as chances de apresentar alergia à tintura.”

A orientação é esperar seu filho completar 12 anos para começar a pintar o cabelo. Mas tome cuidado, pois ainda nessa idade existem produtos específicos para usar no cabelo do pré-adolescente.

“Deve-se ter certeza da ausência de amônia ou água oxigenada sem chumbo e mesmo assim há o risco de ressecar os fios”, alerta a pediatra e neonatologista Nathalia Rodrigues.

O ideal para escapar dessa pergunta é sempre destacar a beleza natural da criança por meio de elogios e conscientizando-a de que não precisa mudar para ser mais bonita. “Ressalte as qualidades do seu filho, caso ele esteja passando pelo processo de construção de identidade, reforçando sua autoestima”, aconselha Nathalia.

*Por Jessica dos Anjos, filha de Adriana e Marcelo, e Tanara de Araújo, mãe de José Pedro

 

Leia também:

O que você precisa saber para um corte de cabelo sem trauma

Saiba como deixar o momento de cortar o cabelo do bebê mais tranquilo

37 cabelos cacheados que a gente ama

Campanha incentiva meninas a gostarem de seus cabelos cacheados

Inverno: a estação pede cuidados básicos para peles e cabelos