Criança

A moda das pulseiras Loom Bands

Elas são supercoloridas e viraram febre entre os meninos e meninas do mundo todo

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Elas estão por todos os lugares. Nos colégios, nos tutoriais em canais na internet e nas muitas lojas de brinquedo pelo mundo e, principalmente, nos pulsos de meninos e meninas de todas as idades.

As Loom Bands, da empresa Rainbow Loom, como são conhecidas fora do país, foram criadas em 2011 pelo imigrante Malaio Cheong Choon Ng, engenhario mecânico, que viu suas filhas trançando elásticos com as mãos e decidiu aprimorar o processo. Quando tentou fazer o mesmo, o engenheiro notou que seus dedos eram grandes e grossos demais e, por isso, os elásticos sempre quebravam e as pulseiras nunca ficavam prontas.

Anúncio

FECHAR

Para não estragar a diversão, Cheong inventou uma estrutura, como se fosse um tear, composto de uma tábua de plástico com pinos espalhados. Nem precisa falar que as filhas do inventor adoraram a ideia e contaram a novidade para todas as amigas, e a simples brincadeira de criança foi transformada em um fenômeno mundial.

Não precisou de muito tempo para as pulseiras de plástico supercoloridas se tornarem sensação entre a garotada e personalidades importantes e, até mesmo, membros da Família Real, como o príncipe William e a Duquesa de Cambrigde, Kate Middleton, que foram vistos usando as pulseiras durante uma viagem à Austrália.

Falsificados, não!

Elas podem ter várias cores, com diferentes tipos de trançados que podem transformar um simples elástico em chaveiros, vestidos e brincos… Mas o que os pais devem ficar atentos, mesmo, é na qualidade.

Com essa febre, não é difícil encontrar produtos falsificados e com alto teor de ftalatos, substância usada para colorir e dar maleabilidade. Essa substância química em contato com a boca ou ingerida pode ser cancerígena e causar sérios danos à saúde dos pequenos.

De acordo com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), todo produto com temática lúdica destinado a crianças até 14 anos é considerado brinquedo e, por isso, para ser comercializado no Brasil deve apresentar o Selo de Identificação da Conformidade do Inmetro. Esse selo garante que o brinquedo vendido passou por rigorosos testes e atende aos requisitos máximo de segurança para não prejudicar as crianças.

De acordo com o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), todo produto com temática lúdica destinado a crianças até 14 anos é considerado brinquedo e, por isso, para ser comercializado no Brasil deve apresentar o Selo de Identificação da Conformidade do Inmetro. Esse selo garante que o brinquedo vendido passou por rigorosos testes e atende aos requisitos máximo de segurança para não prejudicar as crianças.

Veja também:  Menino vende pulseirinhas e consegue juntar dinheiro para ver Paul McCartney