Criança

A melhor opção é vacinar seu filho, sempre!

Istock
Istock

Publicado em 06/12/2017, às 11h32 por Jéssica Anjos, filha de Adriana e Marcelo


Algumas mães optam por não vacinar, se você é uma delas: os médicos afirmam que esta não é a melhor opção. Segundo Daniel Wagner, coordenador da infectologia clínica do Hospital da Criança, unidade do Jabaquara, filho de Silvia Margareth e Antônio Roberto (CRM: 118.838/SP), vacinar seu filho é um método de prevenção extremamente eficaz e seguro. O especialista tirou algumas das principais dúvidas sobre o assunto.

Quais são as principais vacinas?

Existem dois calendários de vacina: público e privado. A rede pública oferece o suficiente para suprir a necessidade da nossa população, mas algumas vacinas os pacientes só encontram no sistema privado. De um modo geral as vacinas essenciais são: tríplice viral, bacterina, antipneumocócica, meningocócica, hemófilos, hepatite B e A (após um ano), a vacina contra a gripe (após seis meses) e a poliomielite. Algumas vacinas, que não citei, estão disponíveis em áreas endêmicas.
Qual sua opinião sobre não vacinar as crianças?
Gravíssimo. Existe um movimento anti-vacina na Europa e Estados Unidos, porque surgiram alguns estudos de um pesquisador que relacionava a vacina com autismo. Depois descobriram que o estudo era uma fraude. Você deixar de vacinar seu filho pode ser arriscado, porque essas doenças podem apresentar um risco grande de mortalidade.
Há diferença entre as vacinas da rede pública e particular?
Em termos de qualidade não. A diferença é que a privada tem algumas vacinas que a pública não dispõe.
O que fazer caso haja alguma reação à vacina?
Na maioria das vezes a reação é local. Nestes casos se a criança apresentar dor ou febre, você pode oferecer um antitérmico, analgésico ou fazer compressa na região da picada. Não costumam durar mais que sete dias, se passar disso, procure o médico.
Há um surto de febre amarela em algumas áreas do Brasil. É aconselhável vacinar?
Alguns hospitais estão começando a vacinar em áreas urbanas por prevenção. Acho importante, mas sem criar pânico. Não podemos deixar de lembrar que vacinação é um método de prevenção extremamente eficaz e seguro. Não deixe de vacinar seu filho.

Hospital da Criança

Diretora médica responsável:

Dra. Christina R. C. De Paola (CRM 66041)

Leia também:

Cerca de 15% das crianças com bronquiolite precisam ser internadas

Crianças refugiadas publicam livros contando suas histórias e sonhos

“A chance de cura da Leucemia já chega a 80% dos casos”, afirma Viviane Sonaglio


Palavras-chave

Leia também

Anna Jatobá retira sobrenome do ex-marido depois do fim do relacionamento - (Foto: Divulgação)

Família

Anna Jatobá e filhos excluem sobrenome de Alexandre Nardoni após separação

Jogador do Corinthians - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Causa da morte de jovem após encontro com jogador do Corinthians vem à tona 2 meses depois

Casal e bebê - (Foto: Reprodução/Freepik)

Bebês

Casal coloca bebê de 3 meses para adoção por estar "ocupados demais com o trabalho"

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

Reynaldo Gianecchini fala sobre experiência de viver pai nas telonas - (Foto: reprodução/Instagram)

Família

Reynaldo Gianecchini fala sobre chegada de filho aos 51 anos: "Vou ser um ótimo pai"

Foto: Reprodução/ Instagram

Bebês

Fernanda Paes Leme recusa visitas após o nascimento da filha: "Não consigo e não quero"

O corpo começa a dar sinais de que vem bebê aí bem antes da menstruação atrasar - Getty Images

Gravidez

Sintomas de gravidez: nos primeiros dias, que ninguém sabe, de menino e menina e muito mais