Criança

8 situações em que o mimo não faz mal

Psicóloga explica que criança tem que ser criada com carinho e que um mimo de vem em quando até que faz bem

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Afinal, criança mimada é diferente de criança mal-educada? Para a psicóloga e colunista da Pais & Filhos Betty Monteiro, o excesso de mimo dos pais com seus filhos pode gerar uma criança mal-educada que não aprendeu a ouvir ‘não’ e acha que as coisas funcionam da forma como ela quer. Mas isso só quando o mimo é exagerado, um pouco faz bem para a criança, vai. 

E isso não quer dizer que você deve criar a criança debaixo de mimo, é só que carinho de pai e mãe é bom demais e faz bem para os filhos. E têm situações em que o mimo é essencial. Veja algumas dessas situações: 

– Quando a criança se sente rejeitada;

Anúncio

FECHAR

– Luto pela perda de uma pessoa querida ou até mesmo de um animal de estimação;

– Traumas pelos quais a criança pode ter passado;

– Algum momento de violência;

– Separação dos pais;

– Situação em que os pais vão viajar por um tempo ou vão se distanciar por um tempo dos filhos;

– Quando a criança ganha um irmão;

– Quando ela passa por uma situação de falta de realização ou de muita frustração, com um sofrimento psíquico, como, por exemplo, quando participa de um campeonato e perde. O mimo vem quando os pais mostram que ganhar nem sempre é importante, que vale competir.

Mas atente-se, o mimo nunca deve ter um valor financeiro. Pode ser desde um afago no colo dos pais a um doce, mas não algo com um valor que não sentimental. “O mimo é aquele momento mais especial, por exemplo, quando você passa um tempo fora, trabalhando, é uma delícia mimar o filho quando volta. A criança vai gostar de receber esse tratamento diferente”. O carinho dado pelos pais é que faz toda a diferença e a psicóloga lembra nunca é demais.