Criança

7 erros comuns que podem afetar a confiança das crianças

O desenvolvimento da autoestima é importante para que seu filho desenvolva as capacidades sociais, veja como ajudar nesse processo

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Shutterstock)

(Foto: Shutterstock)

 

Ajudar seus filhos a desenvolver a confiança é muito importante. É a partir dela que ele estabelecerá as bases para aprender as capacidades sociais, assim como ter a habilidade de entender suas próprias emoções, ter autocontrole e respeitar os sentimentos das outras pessoas.

As crianças que têm relacionamentos com pessoas com quem podem contar, mostram menos problemas de comportamento na escola, são autoconfiantes, desenvolvem curiosidade em relação ao mundo e sentem-se motivadas a explorá-lo. A confiança é desenvolvida quando você entende e aceita o temperamento do bebê, mas o limite e a reação emocional de cada criança são diferentes, você precisa prestar atenção no seu filho e tentar entendê-lo. O livro “Encantadora de Bebê”, das autoras Tracy Hogg e Melinda Blau aborda essa questão e como não errar com os filhos.

Anúncio

FECHAR

Veja os 7 erros mais comuns que os pais cometem com os bebês e crianças mais velhas, que podem comprometer a confiança:

  1. Não respeitar ou negar os sentimentos da criança. Procure entender o porquê do choro e também ajudá-la a compreender o que esta sentindo.

  2. Forçar o bebê ou a criança a comer mais, quando ele já está satisfeito. Respeite os limites, até mesmo na hora de comer.

  3. Tentar convencer a criança a mudar de ideia. Por exemplo, se ela não quer brincar com um amiguinho, não tente forçá-la, ela pode ter inúmeros motivos para não sentir vontade, escute-a.

  4. Não se comunicar. Mantenha diálogos com seus filhos, a fim de ouvir e também ser ouvida, vale começar mesmo quando ele ainda é bebê.

  5. Introduzir novas situações, como um grupo de brincadeiras, sem avisar e então presumir que seu filho irá se adaptar. Nem sempre funciona tão fácil assim, avise-o antes e explique a situação.

  6. Sair de fininho para evitar escândalo. Seja para trabalhar ou passear, é bom que seu filho saiba que você está lá ou não, enganá-lo não irá ajudar.

  7. Voltar atrás. Não diga que ele não pode fazer algo, como comer doce, e volte atrás quando ele começar a chorar.

 

Leia também:

4 palavras que vão te ajudar a criar e cultivar vínculo entre pais e filhos

Entrevista com Melinda Blau

1º Seminário de Mães: os desafios de ser mãe nos dias de hoje