Coluna

Um ninho vazio na tempestade

O sentimento do ninho vazio - Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Publicado em 23/11/2023, às 11h04 por Cecilia Troiano


Foi uma sexta-feira agora em Novembro, na emenda do feriado de Finados. Meu marido e eu estávamos em nossa casa em Aldeia da Serra, no município de Barueri, São Paulo. Nesta mesma casa, vivemos com nossos filhos por 20 anos e hoje a usamos como nosso ponto de fuga aos finais de semana. É um local de muitas memórias de família, de quando nossos filhos eram pequenos, de tantas coisas boas que vivemos juntos por lá. A casa ficou grande para nós dois, mesmo assim, ela está recheada de lembranças de nós quatro, quando ainda nem sonhávamos em estar com o ninho vazio.

Mas a vida é isso, criamos os filhos para o mundo e Beatriz e Gabriel, e nossos dois filhos, levaram isso ao pé da letra. Ambos com 18 anos foram buscar seus caminhos sozinhos, primeiro estudando, hoje trabalhando fora. Nós pais, combinamos orgulho e saudades, nem sempre equilibrados, porque há dias que as saudades são grandes. Mas é isso, o ninho vazio tem também seus lados bacanas, uma despreocupação e um sentido de liberdade ímpares.

Ninho vazio
Olha só o ninho que apareceu (Foto: Arquivo Pessoal)

Pois bem, estávamos em nossa casa, nesta sexta-feira que tivemos uma chuva fortíssima em algumas cidades, entre elas onde estávamos, em Aldeia da Serra. Ventos de mais de 100 km/h, muitas árvores caídas e falta de luz, além de muitos prejuízos para muitas famílias. Nossa casa não ficou imune, olhando pela janela víamos a fúria do vento e não demorou muito para ficarmos sem luz. Ficamos no escuro e as velas foram nossas companhias pela noite. Fomos dormir, sabendo que não havia muito o que fazer.

No dia seguinte veio a surpresa. Na porta do nosso ninho vazio encontramos um outro ninho vazio, não um ninho metafórico, era um ninho de passarinhos mesmo. 

Estava ele bem na entrada de nossa casa, caído, vazio, sem rastro de ovos ou filhotes. A chuva e o vento certamente os desalojaram. Torço para que ele já estivesse vazio antes de cair. Ao vê-lo, meu marido e eu não acreditávamos na coincidência, no encontro dos "iguais". O nosso ninho vazio encontrava o "outro" ninho vazio. A identidade entre nós foi imediata. Onde estariam os filhotes? Estariam bem? Conseguiram se virar no meio da tempestade? As perguntas vêm à minha cabeça e me confundem. Estou falando de qual ninho vazio? Do nosso ou do de pássaros? São meus filhos ou os passarinhos que me preocupam? 

Certamente isso não é coincidência, não acredito nelas, há sempre algo a mais por trás. E vocês não vão acreditar, tem mais! Como devem saber, pássaros constroem ninhos pegando tudo que encontram na natureza, nas ruas, dos restos que podem servir de trama para a cama. Neste ninho vazio que encontramos, no emaranhado de ramos que teciam o ninho, havia uma etiqueta da LATAM. Isso mesmo, uma etiqueta de bagagem com o nome de alguma família, não era a nossa. Se nós já estávamos absolutamente nos confundindo com aquele ninho vazio, sem saber onde começava nossa história e terminava a deles, a etiqueta da LATAM foi a gota d'água. Vocês devem imaginar que meu marido e eu, por nossos filhos viverem fora, vivemos entre lá e cá, cruzando os céus de um continente ao outro. E não é que nossos "vizinhos" do ninho vazio também escolheram a LATAM para enfeitar o ninho deles? Seria saudades dos filhotinhos que se foram ou projeção da minha cabeça? 

Ninho vazio
Ver os filhos se desenvolverem é um processo com inúmeros sentimentos (Foto: iStock)

Para mim, pouco importam as respostas. Se é a minha história que estava ali contada naquele ninho à porta da minha casa ou a dos meus queridos vizinhos, colegas de ninho vazio. A única certeza é que me senti absolutamente conectada com a natureza, com a vivência da maternidade, com a emoção de ter filhos, cuidar, "chocar", alimentar, ensinar a serem independentes e dar liberdade para que eles voem para longe de nós. Se fizermos nossa lição de casa direitinho, esse é o destino que desejamos. O ninho vazio é um prêmio e devemos celebrá-lo. Ele é a certeza que ensinamos nossos filhos a voar sozinhos.  Bons voos, passarinhos-filhotes. Bons voos, Beatriz e Gabriel. 


Leia também

Imagem Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

Bebês

Nomes femininos raros: veja opções chiques e únicas para meninas

(Foto: reprodução/Instagram)

Família

Lore Improta mostra evolução da barriga e avisa: "Tem mais neném chegando"

Menina morre em tubulação de piscina - (Foto: Reprodução)

Família

Menina de 8 anos é encontrada morta em tubulação de piscina em hotel luxuoso

Ticiane Pinheiro e família - (Foto: Reprodução/Instagram)

Família

Ticiane Pinheiro fala sobre gravidez e chegada de segundo filho com César Tralli

Se você procura um nome de menina, aqui estão 180 ideias diferentes - Pexels/Moose Photos

Bebês

180 nomes femininos diferentes: ideias de A a Z para você chamar a sua filha

Sabrina Sato compartilha momentos da viagem para Paris com Zoe, Nicolas Prattes e família do ator - (Foto: reprodução/Instagram)

Família

Sabrina Sato se declara para Nicolas Prattes após Duda Nagle anunciar separação

Os nomes japoneses femininos são lindos, fortes e possuem significados encantadores - Getty Images

Bebês

Nomes japoneses femininos: 304 opções lindas para você conhecer

De A a Z: confira os nomes femininos americanos para te inspirar - Getty Images

Bebês

Nomes americanos femininos: mais de 1000 opções diferentes para você se inspirar