Recém-Nascido

Precisamos falar sobre bebês prematuros

Você está grávida e se planejou para os nove meses, mas o seu filho também pode nascer antes da hora e para isso, ninguém se prepara

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

São poucas as mães que pensam na possibilidade de o seu filho nascer prematuro. Mas esta é uma realidade não tão distante no Brasil. Prematuro é todo o bebê que nasce com menos de 37 semanas de gestação, o que, em nosso país, atinge a marca de 12,4%, segundo o Sistema de Informações de Nascidos Vivos. Isso quer dizer que a cada hora, nascem 40 bebês prematuros no Brasil.

Esse é o caso de Flavia Fonseca, que lançou no último sábado (23/05) seu livro Mãe Prematura. A jornalista estava grávida de 32 semanas quando sentiu um desconforto e foi ao hospital para realizar alguns exames, acreditando que tomaria alguns remédios e poderia voltar para casa. Mas a dor que sentiu, na verdade, eram as contrações e ela estava em trabalho de parto.

Anúncio

FECHAR

“Comecei a chorar e dizer que ele não podia nascer. Me senti muito desesperada e culpada, imaginei que pudesse ser culpa minha, excesso de movimento ou trabalho”. Flavia não teve complicações durante a gravidez, nem indícios de que Rafael nasceria prematuro, mas foi assim que aconteceu e, mesmo depois de várias idas a médicos, não conseguiu entender a causa do nascimento prematuro de Rafael.

Foi a partir dessa experiência, que ela escreveu o livro “Mãe Prematura”, que tem como objetivo compartilhar sua história para que cada mãe possa encontrar um acalento e aprender sobre o assunto, para estar alerta e saber que qualquer um está sujeito ao nascimento prematuro, mesmo sem sintomas.

O livro não é só para as mães, mas também para o casal, que está junto durante todo o processo. “O pai tem que ter muita compreensão, às vezes, até silenciosamente”, explica Flavia, já que durante os primeiros meses, a mãe se dedica integralmente ao bebê e o pai já ajuda muito quando entende essa necessidade de dedicação quase que exclusiva.

Além disso, Flavia também defende o parto normal, mesmo em casos de prematuridade. A autora não critica as mães que escolhem cesárea, mas afirma que é necessário se informar. O parto normal traz melhores condições respiratórias aos bebês prematuros, comparados àqueles que nascem de cesárea.

Para quem se interessa pelo assunto, Flavia Fonseca estará presente no nosso 1º Seminário de Mães, que acontecerá em 11 de julho, em Belo Horizonte.

Flavia Fonseca, jornalista e empresária, mãe de Rafael, 5 anos.