Bebês

20 coisas pra saber ao levar seu filho ao pronto-socorro

Sem desespero, tente diminuir o medo da criança quando ela adoecer ou se ferir

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

1.  Escolha um pronto-atendimento para crianças. Os hospitais infantis e hospitais com pronto-socorro infantil têm equipamentos e equipes especializadas em reduzir a ansiedade e a dor das crianças. Antes de o seu filho adoecer, pergunte ao seu médico qual hospital tem essas características. Em São Paulo, por exemplo, é possível cevar seu filho no Hospital Infantil Sabará.

2.  Ligue para o pediatra antes de correr para o hospital. Ele te ajudará a decidir se o seu filho precisa ir ao pronto-socorro ou se o problema pode ser revolvido no próprio consultório

Anúncio

FECHAR

3. Tente manter a calma. Respire fundo e diga a si mesmo que é necessário manter a calma pelo seu filho. Não pense na possibilidade de um diagnóstico assustador até você ter todas as confirmações médicas. “Se você está angustiado, o seu filho entende isso, absorve as emoções e fica com mais medo”, diz Louis C. Hampers, diretor médico do departamento de emergência do Hospital da Criança, em Denver.

4.  Leve o histórico de saúde do seu filho. Em um caderno, registre sempre as doenças anteriores, imunizações, alergias, doenças crônicas e quaisquer medicamentos que a criança esteja tomando.  Mantenha essas anotações sempre com você.

5. Trate a febre da criança, se for o caso. Alguns pais não dão aos filhos medicamentos para abaixar a febre, por acharem que os médicos não acreditariam na veracidade da doença. “Muitas vezes, tomar o remédio antes faz com que o procedimento seja mais fácil, já que a criança se sente melhor.” Nunca deixe a febre ultrapassar os 38,5º.

6.  Se possível, deixe os irmãos em casa. “Você precisa ser capaz de dedicar toda a sua atenção para o seu filho doente ou ferido”, diz Robert Luten, professor de pediatria e medicina de emergência do Centro de Ciências da Saúde na Universidade da Flórida, em Jacksonville.

7.  Prepare-se para esperar. No pronto-socorro, as pessoas são atendidas ou conforme a gravidade da doença ou ferimento, ou por ordem de chegada. Nessas horas, levar um brinquedo silencioso ajuda a distrair a criança. “Se você estiver esperando e ficando preocupado que seu filho está ficando mais doente, você deve pedir por uma reavaliação do caso”, diz Cheryl Jackson, diretora médica do departamento de emergência pediátrica da Universidade da Carolina do Norte, em Chapel Hill.

8.  Fique ao lado do seu filho. O ambiente do pronto-socorro pode ser um pouco desagradável, então a sua presença ajudará a confortar a criança. “Estudos mostram que quando os pais permanecem na sala durante os exames e procedimentos, o nível de estresse das crianças e dos seus pais é reduzido”, diz Leslie Zun, diretora do departamento de medicina de emergência do Hospital Monte Sinai e Hospital da Criança, em Chicago .

9.  Não ofereça comidas ou bebidas. Um estômago cheio pode atrasar a capacidade do médico ao operar ou sedar seu filho. “Às vezes temos que sedar crianças para procedimentos de rotina, como tomografia e exames de sangue,” diz Hampers.

10.  Diga ao seu filho o que irá acontecer. Conte para ele que um outro médico, que não é o seu pediatra, irá examiná-lo, tirar radiografias, etc. “Para muitas crianças, a ansiedade sobre o que vai acontecer é pior do que a dor real,” diz a Dra. Zun.

11.  Explique para os médicos o que aconteceu: Como e quando o acidente aconteceu, e onde o seu filho tem inchaço ou dor. Se ele estiver doente, descreva cada sintoma, e quando apareceram. Informações precisas irão ajudar os médicos a diagnosticar e tratar o seu filho mais rapidamente. Se ele tiver engolido algo tóxico, é importante levar o recipiente com você.

12.  Seja honesto com seu filho. Não diga a ele que um procedimento não vai ser doloroso se você sabe que vai ser. “Mentir vai fazer o resto da visita mais difícil”, diz Luten. Se o seu filho pergunta se uma injeção vai doer, diga a verdade e compare com outras coisas: “Provavelmente vai doer um pouco, como um beliscão ou uma picada de inseto, mas vai parar”.

13.  Amenizar os medos de seu filho. Segure-o em seu colo e fale em tons suaves. Lembre-o de que você não vai o deixar e que os médicos vão fazer tudo o que puderem para ajudá-lo a se sentir melhor em breve. “Tente proteger o seu filho de instrumentos que possam gerar medo, como bandejas de sutura e agulhas longas”, sugere a Dra. Jackson.

14.  Informe-se sobre as opções menos doloridas.“Se o seu filho vai passar por uma injeção, pontos, ou exame de sangue, peça para que o creme anestésico seja aplicado no local o mais rápido possível”, aconselha o Dr. Jackson. Estes produtos geralmente levam cerca de 20 minutos para agir.

15. Tente manter a mente dele fora da dor. Durante os procedimentos desconfortáveis, distraia o seu filho, olhando os livros ou jogando com ele. “A respiração profunda e técnicas de visualização são frequentemente úteis para crianças mais velhas”, diz o Dr. Zun.

16. Deixe-o confortável. Se a criança estiver com frio, peça um cobertor. Se após a medicação do seu filho a dor parar, informe alguém sobre isso. “Você deve ser o defensor de seu filho”, diz a Dra. Jackson.

17. Não tenha medo de fazer perguntas. “Os médicos e enfermeiros estão muitas vezes ocupados, e as informações nem sempre são compartilhadas da forma como deveria ser”, diz o Dr. Luten. Se você não tiver certeza de quais serão os próximos procedimentos ou por que ele precisa de um exame específico, peça gentilmente uma explicação. “Os pais muitas vezes sentem que não devem interromper o médico, mas o trabalho dele também é responder as perguntas”, afirma o Dr. Luten.

18.  Leve cartão para usar o telefone público. Telefones celulares não são permitidos em muitos hospitais, e muitos deles têm sinal ruim.

19.  Obtenha instruções claras. Verifique se você sabe como cuidar de ferimentos de seu filho e o que fazer se a sua dor ou sintomas não melhorarem em casa. Peça esclarecimentos se você não entende o propósito da medicação ou as instruções de dosagem. “É melhor perguntar quando você está lá do que ligar e tentar obter informações mais tarde,” recomenda a Dra. Zun.

20.  Informe o pediatra da criança. Após a ida ao pronto-atendimento, ligue para o médico e informe o diagnóstico que foi dado ao seu filho. Verifique se o médico tem quaisquer outras recomendações e se são necessários exames de acompanhamento.