Engravidar

Você sabe o que esperar da segunda gravidez?

Entenda o que muda e o que pode se repetir de uma gestação para a outra

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

segunda gravidez

Quando se está esperando o segundo filho, muita coisa passa pela cabeça. Principalmente se você ainda tem um filho pequeno em casa, é provável que se questione se vai conseguir dar atenção ao outro filho por causa da gravidez, como vai ser a aceitação do mais velho e o que esperar de sua rotina depois que o bebê nascer. Naturalmente, outras dúvidas também surgem: Vou ter os mesmos enjoos? A recuperação será a mesma? A sensação de cansaço vai ser igual? A gravidez será mais tranquila? Embora algumas situações possam se repetir, é importante saber que nenhuma gestação é igual a outra.

Se durante a primeira gestação você sentiu muitos enjoos, a chance de de sofrer com o mesmo sintoma é grande, mas isto não é uma regra! Pode ser que ocorra o oposto. “A vantagem é que a mulher já sabe quais hábitos deve manter para controlar esses sintomas”, explica a ginecologista e obstetra Erica Mantelli. Além disso, o desenvolvimento da gestação vai depender da fase da vida em que a mulher está. Fatores como idade, carreira, vida familiar e estado de saúde também influenciam. Porém, na segunda experiência, geralmente a gestante fica menos ansiosa tende a ter uma gravidez mais tranquila.

Anúncio

FECHAR
Leia também

Planejar a gravidez faz toda a diferença

Afinal, são nove ou dez meses de gestação?

6 perguntas sobre ácido fólico e gravidez

 

Uma mudança que faz diferença para as mães na segunda gravidez é que, normalmente, elas podem sentir o bebê mexer antes. Isso é normal. Na primeira vez, o bebê começa a ser sentido entre a 20ª e  24ª gravidez. Já na segunda, por volta da 17ª já é possível senti-lo. A obstetra explica que, como na primeira gestação a mulher já vivenciou a experiência de ter um bebê mexendo, fica mais sensível a pequenos estímulos dentro do útero, conseguindo sentir os movimentos do bebê mais precocemente. É provável também que a barriga apareça mais rápido.

Contrações e parto

A hora do parto também gera dúvidas. Assim como cada gravidez, cada parto é único, pois depende da posição do bebê, do peso e tamanho e das condições clínicas tanto da mãe quanto do filho. Por isso, não dá para se basear na primeira gestação para saber qual tipo de parto você terá. As chamadas contrações de Braxton Hicks, ou contrações de treinamento, ficam mais evidentes, porque as mães de segunda viagem já sabem diferenciar as contrações de parto para as de Braxton Hicks, ajudando a lidar melhor com a ansiedade.

Importância de planejar

Quando possível, planejar também ajuda a ter uma gravidez mais tranquila. Começando pela saúde, é importante mudar os hábitos, controlar o peso, complementar a alimentação com ácido fólico e fazer exames para se certificar de que está tudo em ordem com o organismo e até se programar financeiramente.

Também é ideal respeitar o intervalo entre uma gestação e outra. “Para o organismo se recuperar das mudanças provocadas pela primeira gravidez, é importante esperar pelo menos um ano”, explica a Dra. Erica. E o mesmo vale para mais gestações.

Consultoria: Dra. Erica Mantelli, ginecologista e obstetra, mãe de Giulia