Engravidar

Prós e contras de engravidar aos 20, 30 e 40 anos

Se você está tentando engravidar em qualquer uma destas fases, veja aqui o que mais infuencia

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

engravidar aos 20, 30 e 40 anos

Geralmente, o momento em que você decide ter um bebê é influenciado pela fase da vida em que você está. Você encontrou seu parceiro cedo ou mais tarde? Está planejando uma família grande ou pequena? Cada idade contribui para uma experiência diferente. Embora cada mulher seja única, os aspectos físicos e emocionais da gravidez são, pelo menos em parte, influenciados pela sua idade. Saiba o que você pode esperar:

Aos 20: Preparada para a gravidez

Anúncio

FECHAR

De um ponto de vista puramente físico, este é o “horário nobre” para ficar grávida – quanto mais nova, mais rápido você pode engravidar. Os ciclos irregulares comuns na adolescência foram nivelados e agora a ovulação é mais previsível. Além disso, seus óvulos (você já nasce com todos que vai ter durante a vida) são frescos e saudáveis, tornando-os bons candidatos para a fertilização, explica Geeta Swamy, obstetra da Duke University Medical Center.

Não só é mais fácil engravidar aos 20 como também é mais fácil estar grávida nesta idade. Em geral, um corpo mais jovem pode lidar melhor com a carga adicional sobre os ossos, costas e músculos durante a gravidez. Suas articulações estão mais saudáveis e é provável que você esteja longe de problemas de saúde ligados com o aumento da idade.

O risco de complicações relacionadas à gravidez é geralmente baixo aos 20 anos, com uma notável exceção: a pré-eclâmpsia, ou hipertensão induzida pela gravidez. A pré-eclâmpsia é menos relacionada à idade, no entanto, do que o fato de que esta condição geralmente ocorre na primeira gravidez. Você também pode ter um risco maior de um bebê de baixo peso ao nascer se você teve maus hábitos de saúde de sua adolescência, como tabagismo e má alimentação.

Enquanto os fatores físicos da gravidez geralmente favorecem os 20 e poucos anos, isso não significa necessariamente que este é o momento para ter um bebê – especialmente se você está se encaminhando na carreira ou planejando um casamento. “Você pode não ter tido tempo suficiente para satisfazer as suas próprias necessidades, tais como o sucesso profissional ou passar tempo a sós com seu parceiro”, diz Paula Ford-Martin, autora do livro “The Everything Pregnancy Book”.

Aos 30: Ganho de maturidade x Declínio da fertilidade

Muitas mulheres por volta de 30 anos podem sentir que fizeram grandes progressos profissionalmente e pessoalmente, tornando-as mais emocionalmente preparadas para a gravidez. Mas, enquanto você estava ganhando experiência de vida, seus óvulos continuaram amadurecendo. Dentre os óvulos disponíveis, aqueles mais sensíveis à maturação são liberados em primeiro lugar. Assim, os resultados podem ser mais lentos agora. Mesmo se você não tiver problemas de saúde que afetam a fertilidade, como endometriose ou miomas uterinos, provavelmente vai passar mais tempo tentando.

O declínio da fertilidade é mais notável depois dos 35. Porém, quando engravidar, você provavelmente vai descobrir que, se você está apta e saudável, pode desfrutar da energia associada com uma mulher mais jovem. Esteja ciente, porém, que esta é a década em que condições crônicas, como diabetes ou pressão alta, que complicam a gravidez, tornam-se mais evidentes.

Além disso, mesmo se você estiver em boa forma, a partir dos 35 anos você tem um risco crescente para as condições específicas como diabetes gestacional. Na verdade, esta idade marca o início oficial para a gravidez de “alto risco”. A partir dela, as chances de você ter um bebê com um problema cromossômico, como a síndrome de Down são maiores do que quando você tinha 25. O risco de problemas como a placenta prévia, na qual a placenta cresce perto do colo do útero e provoca sangramento, aumenta conforme o número de gestações anteriores ou cesáreas.

Aos 40: Mais velha, sim, mas também mais sábia

Do ponto de vista médico, esta é a década mais difícil para a gestação. Neste ponto, seus melhores óvulos já foram embora, fazendo com que a concepção fique ainda mais difícil. Aos 40, os óvulos levam mais tempo para responder aos sinais do corpo para serem liberados e já não funcionam tão bem durante a fertilização. Isso aumenta ainda mais o risco de anormalidades cromossômicas e aborto.

Enquanto isso, seu ciclo menstrual pode ficar cada vez mais irregular antes da menopausa, o que também compromete a fertilidade. Mulheres desta idade também podem demorar mais para perceber os sinais da gravidez, porque se a menstruação atrasar, por exemplo, elas podem achar que é um sinal da menopausa. A gravidez pode agravar doenças crônicas e os primeiros sinais de envelhecimento, como dor nas articulações e varizes. O metabolismo lento também pode ter efeitos mais profundos: comendo a mesma quantidade, você pode ganhar mais peso.

Há várias desvantagens médicas na gravidez tardia, mas uma lista de outras vantagens equilibra a balança. Você já deve ter uma maior estabilidade financeira, o que pode permitir que você se concentre mais na maternidade. A experiência de vida pode ter feito você ficar mais paciente e flexível. Além disso, você já deve ter se provado profissionalmente e pode se sentir mais confortável para ficar em casa, ou mais confiante sobre fusão da maternidade com a carreira.

Sua autoconfiança também pode se estender até o consultório médico, quando você está mais inclinada a falar suas preferências sobre parto, por exemplo.  “As mulheres um pouco mais velhas tendem a ser mais ativas na sua gravidez e com cuidados de saúde em geral”, diz Geeta K. Swamy, ginecologista e obstetra.