Engravidar

Planejar a gravidez faz toda a diferença

Adquirir hábitos saudáveis, conferir a carteira de vacinação e ir antecipadamente ao médico são medidas essenciais

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

A gente sabe que nem sempre é possível, mas quando a família consegue planejar a gravidez, tanto de um ponto de vista financeiro como de saúde, tudo fica mais fácil. Afinal uma nova gestação implica em gastos como enxoval, mobília do quarto, fralda, carrinho, brinquedo e mais um monte de itens. Já em relação à preparação do corpo, os cuidados devem começar antes mesmo do pré-natal, que é o acompanhamento realizado durante a gestação. Uma das antecipações é justamente escolher o médico que fará o pré-natal do seu filho.

“Quando a mulher se prepara para a gestação, tudo flui com mais segurança e tranquilidade e é possível saber se a futura mãe vai precisar de cuidados especiais”, afirma Maurício Sobral, ginecologista, obstetra e pai de Luiza e Beatriz. Ver se as vacinas estão em dia, por exemplo, é fundamental.

A vacinação também deve estar em dia. Pelo menos seis meses antes de engravidar, a mulher deve tomar a vacina contra rubéola, caso ainda não tenha se imunizado, pois esta doença infecciosa é perigosa especialmente durante o primeiro trimestre da gestação. Depois de tomar, a mulher deve esperar para que a vacina não prejudique o feto.

Anúncio

FECHAR

Dentre as preocupações também estão os hábitos de vida da mulher. O ideal é que já sejam cortados costumes como ingerir bebidas alcoólicas, fumar e não se alimentar corretamente, pois estas medidas também auxiliarão a ter uma gravidez mais saudável. Ficar de olho na balança também é importante. O acompanhamento médico pode diagnosticar se a futura gestante está no peso ideal ou acima, e evitar doenças relacionadas ao sobrepeso. A obesidade pode atrapalhar desde a concepção do bebê até a evolução da gravidez.

Importância do ácido fólico

O ácido fólico é uma vitamina do complexo B que evita malformações no tubo neural do bebê, como falha no desenvolvimento do cérebro e da medula espinhal. “Nem todas as mulheres sabem, mas três meses antes de tentar engravidar, elas já devem começar a suplementação com ácido fólico e, para isso, também precisam de acompanhamento médico”, diz o Dr. Sobral.

Não se esqueça dos exames

Se você planeja a vinda de um bebê, veja os principais exames que você precisa realizar:

– Papanicolau: Rastreia doenças como câncer de colo de útero e HPV

– Ultrassom pélvico: Verifica o tamanho do útero, a presença de miomas que podem atrapalhar na hora de engravidar e os ovários

– Exames da tireoide: Para saber se a mulher tem hipotireoidismo ou hipertireoidismo

– Tipagem sanguínea: Para prevenir a incompatibilidade de sangue da mãe e do bebê

– Hemograma completo: Ajuda a saber se há falta de nutrientes e se a alimentação precisa ser modificada ou complementada

 

Consultoria: Dr. Maurício Sobral, ginecologista, obstetra e pai de Luiza e Beatriz