Pais

6 erros de disciplina dos pais

Os seis erros mais comuns e o que fazer para consertá-los

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Seu filho está com sono, mas você insistiu para que ele a acompanhasse durante as compras no supermercado. No meio do corredor, ele pede uma bolacha e você diz que não pode comprar naquele momento. Pronto, começa o choro e você já não sabe mais o que fazer para acalmar o pequeno.

Quais os pais que nunca passaram por uma situação desta, em que não perceberam os sinais que o filho deu, e depois sofreram com as conseqüências do mau comportamento da criança? Sabemos que você dá seu melhor para criar os filhos, mas também sabemos que os pais não são à prova de erros.

Anúncio

FECHAR

Por isso, selecionamos os sete erros mais comuns que os pais cometem na hora ensinar os pequenos a terem disciplina, e o que fazer para ajudar as crianças a se comportarem melhor:

Muitos nãos
Você sempre pede para o seu filho não brigar com os amigos, não puxar o rabo do cachorro, não mexer nos papeis em cima da mesa, não, não, não… Mas você já pensou em pedir para os pequenos fazerem aquilo que você considera correto? Deixe os “nãos” para aqueles momentos realmente perigosos (como “não mexa no fogão”) e procure pedir para o seu filho fazer o que você espera, elogiando o comportamento, quando for adequado.

Esperamos demais
Você está em um restaurante ou em um ambiente silencioso, quando seu filho começa a falar alto. Antes de ficar desesperado, lembre-se que seu filho pode não saber como se comportar ali. Explique porque é importante ficar em silêncio naquele ambiente e use as outras pessoas como exemplo. Se não resolver, retire a criança do local até que ela se acalme, diga o que você espera que ele faça e volte.

Não ser um bom exemplo
Se você grita quando derruba alguma coisa, ou xinga enquanto dirige, não espere que seu filho aja diferente. As crianças se espelham nas atitudes e comportamento dos pais em diferentes situações. Por isso, preste atenção naquilo que você faz na frente do seu filho e, quando escapar alguma falha, peça desculpas e explique porque teve aquela atitude.

Deixe a criança explorar
Você não precisa brigar com seu filho a cada atitude que ele toma e que pode incomodar os mais velhos. As crianças fazem algumas coisas para aprender e testar seus próprios limites. Lembre-se disso quando ele estiver jogando suco no prato ou mexendo na comida com as mãos. Se não é perigoso para a criança, deixe-a descobrir novas situações e veja se vale a pena chamar a atenção da criança.

Não ficar firme
Muitas vezes, você pede para seu filho desligar a TV, mas negocia mais alguns minutinhos e fica num círculo vicioso, até que ambos se irritem e comecem a discutir. Quando determinar o fim da brincadeira ou a hora de ir embora, seja firme na sua proposta e tome a iniciativa.

Achar que todas as crianças são iguais
Quando você pede para o seu filho ir para o quarto depois de uma briga com o irmão ou com um amigo, ele esperneia e acaba causando um problema maior do que o inicial. Isso pode ocorrer porque algumas crianças veem o castigo como uma rejeição dos pais, e não como um tempo para refletir. Tente ficar ao lado do seu filho até que ele se acalme e explique o motivo pelo qual você não gostou da atitude dele, reforçando o que você quer que ele faça da próxima vez. Se você estiver muito bravo para fazer isso, fique um tempo sozinho, acalme-se e só então converse com a criança.

E lembre-se o que funciona perfeitamente com uma criança pode ser um fracasso com outra. Por isso, entenda como seu filho age e se adapte ao comportamento dele também. Qualquer que seja a atitude necessária, seja firme e lembre-se que o mais importante é ajudar o seu filho a aprender o que melhor para ele.

Fonte: Parents