Notícias

Reflexões de um brunch

Cristina Dinis, mãe de Maitê e Nina, veio no nosso 13o Brunch e agradece pelo momento de reflexão que o encontro a proporcionou

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Tudo que é novo, que cria expectativas, que mobiliza a família, que aumenta a ansiedade, vem de um desejo, de que tudo possa ser da maneira como sonhamos ou imaginamos. Colocar ou não um filho na escola cedo, demanda tudo isso, porém, às vezes com a necessidade e a falta de opção, nos vemos dentro desse dilema. Quem opta por deixar o filho com a babá ou tão somente entrar mais tarde no período escolar, também estão fazendo escolhas que exigem uma coerência de toda família. O “brunch” do dia 06/06/13, com o pedagogo Marcelo Cunha Bueno, veio trazer à tona, toda uma discussão, que hoje é bastante questionada por pais, mães, pedagogos, psicólogos, famílias. E a pergunta que não quer calar: “Se deve ou não, colocar os filhos na escola cedo?”

Bom, cada família, sabe de suas necessidades, do meio onde vive, da importância de se vivenciar cedo ou não esse momento novo. Eu continuo favorável e acredito ser importante esse primeiro contato da criança com a escola, não só pelo desenvolvimento motor, linguístico, independência no “ser criança”, mas também, para ela se sentir parte de um todo, onde  possa vivenciar troca de experiências, conhecer e assimilar valores, adquirir novos conceitos, fazer da brincadeira, um aprendizado diário.

Não me sinto culpada em nenhum momento, por ter levado minha filha com meses à escola. Foi enriquecedor e amplo para ela, saber que seu mundo era muito mais que sua casa, seus brinquedos, sua rotina. Ela cresceu, hoje é uma criança muito feliz e independente em suas ações. A escola, lhe proporcionou, um espaço onde ela se sentiu segura e amada, depois do convívio da nossa casa. 

Anúncio

FECHAR

Gostaria de agradecer a toda equipe da “Revista Pais e Filhos”, pelo convite com um tema tão amplo e de tamanha importância para a família. Cada um faz a escolha que melhor lhe atende naquele determinado período da vida. O meu melhor momento, foi ver a minha filha sorrir, depois do primeiro dia de aula.