Notícias

Ponto de Equilíbrio

Raquel Escobar, mãe de Gabriela, mudou de emprego, contratou uma babá, mudou para escolinha, até achar a melhor opção para ela e sua pequena

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Raquel Escobar mãe de Gabriela participa da campanha Culpa,Não! O tema do mês de Maio é  “Culpa por deixar a criança na creche”  se você também quiser participar siga a nossa página no Facebook e mande um depoimento sobre o tema do mês para giovanna@revistapaisefilhos.com.br .  

Sou mãe da Gabriela que está com 1 ano e 3 meses, minha gravidez foi ótima: planejada, tranquila e pude manter a rotina do trabalho e de casa até o nascimento da Gabi.

Tinha um trabalho bem agitado, fazia gerenciamento de produtos médico e viajava com frequencia para todo Brasil.

Anúncio

FECHAR

Ao engravidar ficou claro para mim que precisaria mudar essa rotina, ou pelo menos diminuir a frequencia dessas viagens, o que na verdade eu não sabia é que esse amor maior que eu não me deixaria confortável em ficar distante tão cedo, afinal, era apenas um bebe, que alimentava-se exclusivamente de meu leite materno.

No sexto mês de gestação comecei a programar a contratação de uma babá, isso porque sou fisioterapeuta respiratória e sabia bem o quanto a exposição dos bebês nas creches poderia aumentar as chances de doenças.

A Gabi nasceu e foi lindo como sonhava !!! Nos primeiros 2 meses tive total suporte de meus pais, que não moram na mesma cidade e na sequencia contratei a Babá. Ela praticamente me auxiliava, pois eu fazia questão de cuidar de minha filha integralmente. Quando a Gabi estava com 4 meses descobri que tinha APLV (alergia a proteína do leite de vaca) e com isso foi ainda maior a minha cobrança em amamentar e cuidar dela. Amamentei até os 11 meses, fiz restrição total de leite e derivados durante esse período (aliás, só um amor de filho para dar coragem a essa restrição rsrs).

Ao voltar da licença, a Gabriela com apenas 4 meses e meio, o que eu mais temia aconteceu…eu teria que voltar com toda dedicação a minha rotina intensa de viagens a trabalho. Voltei para casa respirei fundo e encorajei a decisão de sair da empresa e buscar outra onde eu trabalhasse somente em SP capital e felizmente isso foi mais fácil do que eu esperava. Pedi as contas e iniciei  em outra empresa com a Gabriela aos 6 meses.

Bom, parecia está tudo OK até eu perceber que ao sair de casa, não sentia paz, tinha medo muito medo em deixar minha filha aos cuidados de uma pessoa estranha que ficaria sozinha com ela em minha casa.

Conversei com minha mãe que por ser Pedagoga me pontuou todo lado positivo da escola. Respirei fundo, a cabeça a mil, aquela confusão de idéias, mas enfim, com a Babá era fato que não deixaria mais. Fiz rapidamente uma pesquisa e por sorte um dos berçarios referencia em SP ficava próximo a minha casa.

Pedi apoio na empresa que eu acabara de entrar e fiz os 10 dias de adaptação. A Gabriela rapidamente se adaptou, foi uma época fácil novembro cheio de feriados, dezembro 20 dias de férias coletivas.

Voltamos em janeiro e minha rotina no emprego começou a ficar puxada, o contrato de atender SP já não era bem assim…já estava eu na ponte aérea SP-RJ, pegando estrada outro dia para Valinhos e minha filha…que tristeza em período integral na escolinha e essa culpa não saia do meu peito.

Tentei por mais dois meses, e vi que não era para mim. Decidi parar, sim, eu que trabalho desde nova! Difícil decisão, mas, com isso retomei meus grandes projetos.

Hoje deixo ela meio período na escola e não tenho CULPA NENHUMA, sabe por que??? Porque a escola socializa, ensina e  interage. Não é um local frio e sem afeto como muitos criticam. Decidi pensar não só com o coração, mas, com a razão e percebi que ela tem o direito de frequentar um ambiente com outros bebes e isso vem sendo mega positivo! 

E enquanto ela está na escola dedico-me ao Projeto de Doutorado, que havia deixado em segundo plano, faço pontualmente consultoria de negócios para empresas do ramo médico e o restante do tempo?? MÃE dedicada e sem culpa!!!

Consegui encontrar um ponto de equilíbrio. Aprendi que posso cuidar de mim e dela, que me ensina a ser melhor a cada dia!