Notícias

Nasceu, e agora? Respostas para mães de primeira viagem

Entrevistamos a autora Stéphanie Sapin-Lignières, que escreveu um manual para os pais cuidarem de bebês no primeiro ano de vida

A REDAÇÃO PAIS&FILHOS

foto stephanie

Nascida na França, Stéphanie Sapin-Lignières, mãe de Annelys, Custodio Carlos, Frédéric e Valérie, chegou ao Brasil em 1964 e, depois de quase 4 décadas instruindo pais a criarem bebês felizes, se tornou referência na preparação de casais grávidos, incluindo famosos como Alinne Moraes, Thiago Fragoso e Murilo Rosa. A autora do livro “Nasceu, e agora?” falou com a gente sobre amamentação, sono, rotina, insegurança e vários outros temas que preocupam mães e pais de primeira viagem. Confira a entrevista:

1. Você já ajudou mais de 5 mil casais grávidos, mas cada família é única. Então, o que é comum a todos na hora de aconselhar os pais no cuidado com o filho no primeiro ano de vida?

Anúncio

FECHAR

O grande problema dos pais, principalmente de primeiro filho, é o medo. Medo de acontecer algo para o bebê, de não serem bons pais, de fazer algo errado. É importante ajudá-los a ter confiança neles mesmos dando informações e conhecimentos para que sintam segurança e confiem em usar seu bom senso.

2. Existe um segredo para criar um bebê feliz e saudável?

Existe sim: Olhar para o bebê, tentar entender o que ele diz! Bebê fala? Fala sim, com expressão corporal, com caras e bocas, com choros e barulhos. É preciso respeitar o bebê, saber que ele é um ser humano completo que tem as emoções de um adulto: raiva, medo, tristeza, mágoa, tédio… sem achar que tudo é manha, fome ou cólica!

3. Em tempos de excesso de informação, como os pais podem escolher as referências de cuidado com os filhos?

A chave é usar o bom senso, evitando os palpiteiros.

4. Como lidar com os palpites que vem de todos os lados? Além da informação de médicos e especialistas, todos os pais de primeira viagem acabam se deparando com opiniões de conhecidos sobre os mais diversos assuntos…

A grande praga pós-nascimento de um bebê são os palpiteiros: Família, amigos e, até, muitas vezes, enfermeiras das maternidades. Todo mundo acha que entende de bebê mais que os pais e os próprios pais se convencem disso, o que os leva a uma enorme insegurança e pode prejudicar a relação deles com o filho.

5. Uma das maiores preocupações de pais de recém-nascidos é o sono. É possível garantir que o bebê durma bem com um ritual de sono desde o nascimento?

Os 10 primeiros dias são dias de caos! Não tem regras, tudo que facilitar a vida dos pais é permitido. É a fase da livre demanda na qual o bebê mama quando quiser e dorme quando quiser. Chamo estes 10 dias da fase do “salve-se quem puder”. Depois da ida ao pediatra, se tudo estiver bem, começa a implantação da rotina.

6. É importante estabelecer uma rotina na hora de amamentar, por exemplo?

Esta rotina se for bem feita, deve proporcionar noites mais tranquilas, em que o bebê acorda somente uma vez para mamar, até os quatro meses de vida, e possa dormir a noite toda depois disso. As glândulas mamárias precisam de descanso entre as mamadas e o sistema digestivo do bebê também, por isso é importante ter mamadas em intervalos regulares.

7. Qual a importância disso para os pais e para os bebês?

Uma das maiores causas de baixa produção de leite é o cansaço ou estresse da mãe. Se ela fizer livre demanda, fica muito cansada e seu leite diminui. O bebê quer mamar o tempo todo o que vai cansar ela mais e diminuir mais ainda seu leite.

8. Na hora de ter o segundo filho, os casais passam por inseguranças diferentes da primeira gestação?

O grande medo dos pais de segundo filho é achar que amam tanto o primeiro que não sabem de onde vai tirar amor para dar para o segundo e ficar com pena deste coitado para o qual, já na gravidez, estão dando menos atenção que para o primeiro. Quando nasce o segundo, porém, descobrem o milagre do amor que se multiplica e percebem que não tiram de um para dar para o outro, mas aumentam sua capacidade de amar. O resto é organização do tempo.

9. Qual é o conselho mais importante para pais de primeira viagem?

Confiar que são capazes de criar bem seus filhos! E, para garantir, comprar meu livro! (Risos)

10. Para nós, família é tudo. E para você?

Famílias são maravilhosas: família de pai e mãe, de dois pais, de duas mães, de só uma mãe, de pais separados, de pais adotivos, enfim, todo tipo de família, contanto que tenha amor e respeito pela criança.

nasceu e agora_(1)

Livro: Nasceu, e agora? – Agir Editora – R$ 19,90