Notícias

Estudo propõe técnica para diagnóstico precoce de câncer de ovário

Publicado em revista especializada, pesquisa sugere método barato e mais eficiente para câncer raro

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Um estudo realizado pelo MD Anderson Cancer Center (EUA) sugeriu uma nova estratégia para o rastreamento do câncer de ovário para ajudar no diagnóstico precoce assim como o papanicolau permite o diagnóstico precoce do câncer de colo de útero. O estudo foi publicado pela revista americana “Cancer” nesta segunda-feira, 26 de agosto.

A proposta feita pelo novo estudo é usar exames de sangue simples, aplicadas a um algoritmo, para classificar mulheres de faixas de baixo, intermediário e alto risco. Dependendo da classificação, a mulher seria encaminhada para exames como ultrassonografia transvaginal e, se necessário, para uma cirurgia.

O cálculo considera a variação do nível da proteína CA125 no sangue, que pode ser alterado com a presença de câncer no corpo. Hoje, o marcador já é usado no diagnóstico do câncer, mas não através das medições sugeridas pela pesquisa.

Anúncio

FECHAR

A pesquisa foi feita com 4.051 mulheres que já tinham feito a menopausa, quando o câncer é mais comum. Em 11 anos de acompanhamento, foram descobertos quatro casos da doença, um no estágio mais inicial.

O jornal Folha de S. Paulo  publicou a notícia hoje e o oncologista Rafael Kaliks do Hospital Israelita Albert Einstein disse que  este “é um câncer raro, com sintomas que podem ser relacionados a outras doenças. Esse método é barato e pode evitar a realização de ultrassonografias desnecessárias”.