Notícias

Dieta restritiva

Renata, mãe de Fernanda, teve que mudar hábitos alimentares para continuar amamentando

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Bem, tudo começou na maternidade. Meu leite não desceu entre os dois dias.

Como minha mãe não amamentou, achei que eu fosse igual, mas no fundo tinha esperança. Coloquei minha filha para sugar o peito, dei a ela 30 ml de fórmula para não passar muita fome e Graças a Deus, no quinto dia, meu leite desceu. Ela se esbaldou, mas não acaba aqui. Como consumia muito leite e derivados, minha filha, com 3 meses apresentou uma alergia chamada colite alérgica, que se trata de sangue nas fezes: mais conhecido como fezes de geléia de morango.

Anúncio

FECHAR

Enfim, achamos uma especialista em gastroenterologia pediátrica e descobrimos que tinhámos que desmamá-la e entrar com uma fórmula especial, que na época era muito caro. Mas o problema não esta aí: ela não pegou o leite, que tinha sabor muito ruim mesmo.

Então, como não queria sentir “CULPA, NÃO!”, tive que continuar amamentando, mas teriam que fazer uma dieta restritiva, retirar da minha alimentação todos derivados de leite, soja, milho e o ovo também. Tive que tomar cálcio e outras vitaminas para suprir as necessidades do organismo, mas fiz tudo isso com muito amor. Hoje ela tem 4 anos e 7 meses, e é uma criança saudável.