Notícias

Dia de lembrar da importância do teste do olhinho

Hoje é o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma. Você sabe porque é tão necessário? Confira aqui!

Carolina Piscina

Carolina Piscina ,filha de Ana Maria e Osvaldo

olhinho

No dia de hoje, 18 de setembro, comemoramos o Dia Nacional de Conscientização e Incentivo ao Diagnóstico Precoce do Retinoblastoma, que foi instituido pelo TUCCA (Associação para Crianças e Adolescentes com Câncer). Essa data é importante para conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer ocular mais comum na infância.

O tumor ocular é o tipo de câncer mais comum nas crianças. Entretanto, quando diagnosticado precocemente, pode ter uma cura de até 100%. Quando o retinoblastoma não é identificado com antecedência, pode causar cegueira e até levar a criança à morte. “É essencial detectar o quanto antes a doença, não só para que o câncer seja curado, mas também para preservar o olho e a visão da criança”, explica o oncologista pediátrico e presidente da TUCCA, Sidnei Epelman.

Anúncio

FECHAR

O teste do olhinho é uma das bandeiras da campanha, já que deve ser realizado periodicamente, uma vez que é mais comum em crianças de 0 a 5 anos. Esse exame pode levantar a suspeita da existência do tumor, que vai ser investigado por um oftalmologista através de uma avaliação de fundo de olho.

O Departamento de Oncologia Pediátrica do Hospital Santa Marcelina em parceria com a TUCCA  tornou-se referência internacional no tratamento do retinoblastoma, que é realizado no Centro de Atenção Integral à Criança com Retinoblastoma, localizado em Itaquera, na Zona Leste de São Paulo. Dr. Sidnei Epelman explica que o objetivo da técnica utilizada para o tratamento das crianças é  conseguir salvar o olho do paciente.

É utilizada uma técnica chamada de quimioterapia intra-arterial (dentro do globo ocular) feita na artéria oftálmica, onde é utilizado um cateter, que vai da artéria femoral até o olho da criança. A dose de quimioterapia usada é menor que a usada quando se utiliza por via sistêmica.