Notícias

Cansaço em dose dupla

Bruna Munhoz, mãe de Maria Eduarda e Isabela ficava cansada só de imaginar como daria a papinha para suas pequenas

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Tenho 25 anos e sou mãe das gêmeas Maria Eduarda e Isabela, de seis meses e meio. Cuido delas sozinha, desde o primeiro mês e também das tarefas da casa. As meninas chegaram logo depois que me casei e, então, minha vida já mudou completamente desde o primeiro mês de casada. Uma gravidez gemelar sempre vem carregada de tensão e isso, por si só, já é suficiente para o cansaço acumular.

Minhas meninas foram amamentadas exclusivamente com leite materno até os exatos 6 meses e 10 dias (e continuamos!!!). Apesar de toda a alegria que isso me dá, é um desafio diário dar conta de amamentar dois bebês, que crescem saudáveis. Administrar as meninas, a casa, a cozinha, o marido, um cachorrinho e a minha vida tem sido mesmo uma missão de tirar o fôlego.

Dias antes de iniciarmos a introdução alimentar das gêmeas, vivi alguns dias de crise. Não! Eu não queria que elas começassem a comer. Por quê? Preguiça de pensar em preparar as papinhas todos os dias e ensinar dois bebês a comerem.

Anúncio

FECHAR

 Foram dias de muita angústia porque, na verdade, eu tinha medo de ver minha rotina (que já não é das mais organizadas, já que a prioridade é sempre cuidar das bonecas) ir pro espaço. Nesses dias eu me dei conta do quanto estava cansada, exausta, estressada e com a sensação de não dar conta. Uma noite bem dormida, uma conversa com o marido e a certeza de que não era preguiça, mas cansaço! 

Mudança de foco e as papinhas nem foram tão traumáticas assim. Com paciência, força de vontade e consciência de que todos temos limites, ser mãe tem sido uma experiência deliciosa, apesar dos pesares! Quando bate o cansaço, Deus ajuda colocando forças onde não encontro mais: pra que melhor do que dois sorrisos banguelos?