Mais

Senado aprova projeto que combate bullying nas escolas

Objetivo é prevenir a prática das agressões nas escolas, capacitando profissionais de educação para implantarem ações de discussão, prevenção e soluçã

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

 

Uma pesquisa realizada pela Unifesp aponta que 13% das crianças e adolescentes sofrem bullying nas escolas. A exposição a abusos físicos e psicológicos na infância contribui para a incidência de casos de depressão e uso de drogas na vida adulta. Como forma de tentar diminuir essas estatísticas e criar um debate consciente sobre o assunto, o Senado aprovou, na última quinta-feira, 19, o projeto que cria o Programa de Combate à Intimidação Sistemática, o bullying.

Segundo o texto, o bullying é definido como uma sequência de episódios de violência física ou psicológica, intencionais e repetitivos praticados por um indivíduo ou grupo contra outro indivíduo ou grupo.

Anúncio

FECHAR

O objetivo do projeto é prevenir o combate à prática do bullying nas escolas, capacitando profissionais de educação para implantarem ações de discussão, prevenção e solução do problema. Para a neuropediatra do Hospital Samaritano, Saada Ellovitch, mãe de Nathália e Nicole, a sociedade precisa de informação para lidar com esse assunto, por isso é preciso construir pontes para habilitar os pais, educadores e também os alunos a falarem sobre o bullying de forma educativa e construtiva.  

“O combate ao bullying também é papel da família. É preciso que os pais ajudem os filhos a desenvolverem empatia e solidariedade pelas pessoas, fazendo com que eles saibam tolerar e aceitar as diferenças”, completa.

O projeto inclui também a elaboração de relatórios anuais das ocorrências de violência nas escolas e nas redes de ensino. E orientar as famílias e responsáveis para que possam identificar os casos de bullying, bem como garantir assistência psicológica, social e jurídica às vítimas e aos agressores.

Como foi aprovado um substitutivo da Comissão de Direitos Humanos (CDH), a proposta deve passar pela Câmara com as alterações, antes de seguir para sanção da presidente da República.

 

 

Pais&Filhos TV